Seab e IDR-PR querem a adesão de todos os municípios ao Susaf

O Instituto de Desenvolvimento Regional – IDR-PR – vem trabalhando para auxiliar os produtores de queijos artesanais visando a sua formalização para que possam comercializar seus produtos em supermercados, mercearias e panificadoras dos municípios do Paraná.

Só podem vender produtos de origem animal pequenas indústrias de alimentos que tenham a certificação do Sistema unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte, o Susaf.

Na outra ponta, o trabalho envolve as prefeituras, para que regularizaem os serviços de Inspeção Municipal -SIM – e, assim, possam aderir ao Susaf. Este sistema é coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento – Seab – e pela Agência de Desenvolvimento Agropecuário do PR – Adapar.

Produtos de Qualidade
“O trabalho vem sendo feito em dois sentidos: que o produtor produza um leite de qualidade com a consequente transferência disso para os produtos transformados nas propriedades.

Temos bons exemplos de produtores que têm conseguido produzir mais leite com o mesmo número de animais e também leite de qualidade.

Nós temos um trabalho de 11 anos na nossa microrregião, onde as células somáticas, o CBT têm diminuído consideravelmente, ou seja, agregando qualidade ao leite”, disse Carlos Alberto Wust da Silva, o Beto, gerente regional do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná- IDR-PR – para a região Francisco Beltrão, em entrevista ao JdeB.

Beto acrescentou também sobre a atividade institucional que vem sendo feita com as autoridades municipais – prefeitos e secretários de Agricultura.

“Outro trabalho que temos feito juntamente com a Seab é na regularização dos serviços de inspeção municipal. Assim como nós temos belos exemplos de trabalho do SIM, como Beltrão e Salgado Filho, onde os municípios já receberam o selo do Susaf, nós temos municípios que sequer têm SIM. Ou tem SIM, mas não têm estrutura, ou que não cumprem a legislação, na organização e legalização do SIM. Esses municípios sem o SIM organizados e reconhecidos, eles automaticamente estão fora do Susaf. E estando fora do Susaf, os produtores destes municípios estão impedidos de vender fora de suas fronteiras geográficas. Então esse trabalho nós estamos fazendo junto com a chefe do núcleo da Seab, Denise Adamchuch, visitando todos os municípios, e agora essa tarefa se renova porque com as eleições municipais, muitos mandatários modificaram e nós vamos ter novos secretários de Agricultura e estruturas e nos vamos ter voltar a conversar com esses novos prefeitos para que isso seja possível”, diz Beto.

Organizar toda a região
Beto Wust da Silva salientou que “a nossa ideia é que nós tenhamos em toda a região os SIM (Serviço de Inspeção Municipal) organizados de maneira que esses municipios possam fazer a adesão ao Susaf e permitir aos produtores situação como aqui em Francisco Beltrão, onde nós temos três produtores de mel, queijo e de embutidos de carne suína que hoje têm o Estado como limite de comercialização dos seus produtos. Então, o nosso trabalho está voltado nesse sentido, a organização dos produtores para uma melhor produção, maior qualidade do leite produzido, e na organização dos SIM para a adesão ao Susaf’.

Potencial estadual
Terca-feira, dia 1, Beto Wust da Silva, do IDR, e Denise Adamchuch, da Seab, participaram da reunião semanal na Associação Empresarial de Francisco Beltrão- Acefb – que teve como tema ‘O potencial do queijo artesanal do Sudoeste do Paraná’.

A exposição foi feita pelo presidente da Associação de Produtores de Queijos Artesanais do Sudoeste -, Claudemir Roos, e pelo diretor executivo do Sistema de Cooperativas Cresol, Luiz Panzer.

Um estudo elaborado em conjunto pela Cresol, UTFPR de Campus de Francisco Beltrão, IDR-PR e Ministério da Agricultura e Pecuária identificou 40 produtores de queijos artesanais. Até então este pessoal trabalhava na informalidade. Com a regulamentação do Susaf, estes empreendedores deverão buscar a regularização junto a este sistema.

Fonte e foto: Jornal de Beltrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *