Cleber, Reichembach e Litro cotados para a disputa a federal

O prefeito reeleito de Francisco Beltrão em 2020, Cleber Fontana, PSDB, 80% dos votos, deu uma longa entrevista para a última edição do Jornal de Beltrão do ano passado (confira aqui). E uma pergunta foi sobre seu futuro político, se seria, por exemplo, candidato a deputado federal.

Resposta de Cleber: “Totalmente em aberto. Totalmente incerto. Não há, nesse momento, nenhum tipo de definição. Cogitações, tem. Cogito a possibilidade de terminar o mantado e, de repente, me somar ao governo, se receber um convite. Cogito a possibilidade de eu sair pra disputar em 2022 uma eleição à Câmara Federal. Cogito a possibilidade de encerrar a carreira também, como outros prefeitos”.

Aos 42 anos hoje, é pouco provável que o prefeito encerre a carreira. O que vai definir seu futuro é o quadro político local e regional. Ou seja: seria arriscado renunciar em março do ano que vem para concorrer a deputado em outubro?

Ou seria mais prudente encerrar oito anos de gestão em dezembro de 2024 e, a partir daí, se preparar para concorrer ao parlamento federal em 2026?

Reichembach
Para 2022, duas outras lideranças da região já sinalizam que pretendem concorrer para uma cadeira em Brasília. Uma delas é o deputado estadual Wilmar Reichembach (PSC), que já conversou com o governador Ratinho Júnior (PSD) nesse sentido e recebeu sinal verde.

Reichembach tem dito, há tempos, que, depois de dois mandatos na Assembleia, o passo natural seguinte seria uma tentativa para federal. “Fui vereador em Francisco Beltrão por dois mandatos [1993-2000], duas vezes vice-prefeito [2001-08] e uma vez prefeito [2009-12], agora, no segundo mandato de deputado estadual, estou pronto para encarar uma campanha para federal em 2022”, comenta.

Litro
Vereador em Dois Vizinhos de 1993 a 96 e deputado estadual de 1999 a 2010, Luiz Fernandes Litro (PSDB) também anunciou que está se preparando para concorrer a deputado federal em 2022, em dobradinha com seu filho, Paulo Litro, que é deputado estadual desde 2015 e é o presidente do PSDB do Paraná.
Litro pai: “Eu tenho um trabalho reconhecido como deputado estadual, tenho muitos amigos, ajudei muita gente, muitos prefeitos e ex-prefeitos, daqui do Sudoeste e de outras regiões, o meu nome tem recebido apoio”, disse.

Legado de Meurer
Nelson Meurer, falecido no ano passado, foi o principal deputado federal do Sudoeste. De 1995 a 2018 conseguiu muita verba para os municípios — estima-se na ordem de um bilhão de reais —, empilhando votos em sucessivas reeleições. Aliás, ele nunca perdeu uma disputa: prefeito de Beltrão eleito em 1988 e, a partir de 1994, sempre deputado federal, até encerrar a carreira depois de seis mandatos.
Esse legado de votos de Meurer é que anima os políticos, porque em 2018 a região não elegeu nenhum deputado federal com domicílio eleitoral no Sudoeste.

Sudoestinos que votam fora
Tem a deputada federal Leandre Dal Ponte (PV), de Chopinzinho, mas ela vota em Curitiba; tem o deputado federal Nelsi Maria Vermelho (PSD), de Beltrão, mas ele vota em Foz do Iguaçu; tem o deputado federal Fernando Giacobo (PL), de Pato Branco, mas ele vota em Cascavel.

Bancada estadual
A bancada estadual do Sudoeste, no entanto, continua forte, inclusive com dois cargos importantes no cenário político — o presidente da Assembleia, o beltronense Ademar Traiano (PSDB), e o chefe da poderosa Casa Civil, o pato-branquense Guto Silva (deputado estadual licenciado do PSD).

Fonte e foto: Badger Vicari/Jornal de Beltrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *