Apreensão de drogas com uso de cães da PM aumenta em quase 1.000% no Paraná

A estratégia da Polícia Militar do Paraná de ampliar o uso de cães em operações contra drogas e armas resultou em aumento de apreensões de ilícitos nos últimos meses. Segundo a Companhia de Operações com Cães (COC), do Batalhão de Operações Especiais (Bope), 79,8 toneladas de drogas e 234 armas de fogo foram apreendidas nos últimos 16 meses.

Em 2020 o total de apreensão de drogas com uso de cães foi de 59,9 toneladas, o que representou aumento de 969% em relação a 2019, quando foram registradas 5,6 toneladas. Nos primeiros quatro meses de 2021, as operações que contaram com o auxílio dos cães apreenderam 14,3 toneladas de drogas, ou seja, 8,7 toneladas a mais que o ano todo de 2019.

Em relação a armas de fogo o número também cresceu nas operações com cães. Em 2020 houve 186 apreensões, contra 141 efetuadas em 2019. De janeiro a abril de 2021 foram 48 armas apreendidas – quase um quarto do total do ano anterior.

O subcomandante do COC, tenente Marcelo Henrique Hoiser, explica que foram criados novos canis da PM no Estado, como o do Batalhão de Polícia Rodoviária, implantado na região Noroeste. Ele também ressalta as ações pontuais. “Aumentaram as operações com uso de cães, com destaque nas fronteiras e divisas. Houve fiscalizações que resultaram em apreensões de drogas em grande escala”, disse.

BPMOA intensifica treinamento para combate aéreo a incêndios florestais
Centro de Equoterapia da Polícia Militar já atendeu mais de 5 mil famílias
Dentre estas operações, duas realizadas em 2020 somaram mais de 31 toneladas. Uma delas apreendeu 25 toneladas de maconha em Campo Mourão (Centro-Oeste), no âmbito da Operação Hórus e Programa Vigia, que combate crimes de contrabando e tráfico em fronteiras e que se estende, também, para outras cidades do Estado. Na outra, em Maringá (Noroeste), ocorreu a apreensão de uma carreta com 6,6 toneladas de maconha.

O mesmo se repetiu neste ano com duas apreensões que somaram 17,4 toneladas. Uma em janeiro, em uma propriedade rural de Toledo (12,7 toneladas de maconha), e outra em março, do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual, com interceptação de mais de 4,7 toneladas de maconha, em Iporã, no Noroeste.

O subcomandante Hoiser ressalta o desempenho dos cães comparado ao de humanos. Os animais possuem atributos como olfato apurado, visão e agilidade de locomoção. “Somos limitados perante o potencial que os cães têm, principalmente em relação à morfologia e a fisiologia do faro”, esclareceu o tenente.

Fonte e foto: Agência Estadual de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *