Polícia Ambiental não confirma veracidade de vídeo com onça pintada

O vídeo de uma onça pintada, supostamente filmada no interior de Francisco Beltrão, na comunidade de Linha Formiga, despertou a curiosidade de internautas do município e região. A reportagem entrou em contato com o Pelotão da Polícia Ambiental, que não confirmou a veracidade das imagens, mas recomendou cautela aos moradores.

“A gente não conseguiu confirmar a origem das imagens e nos causa surpresa por ser uma onça pintada. Contudo, estamos tendo bastante denúncias naquela região de moradores que estariam vendo onças. Há informação de felinos naquela região, de qualquer forma a gente já tomou o cuidado de alertar as pessoas”, comenta o comandante do 3º Pelotão Polícia Ambiental de Francisco Beltrão, sargento Melo Santos.

Segundo ele, o que é mais comum na região é o puma, também conhecida como onça parda, e não tanto a onça pintada, que habita mais a região do Parque Nacional do Iguaçu. De todo modo, o sargento recorda que a região teve, em 2012, uma idosa que foi morta por uma onça parda em São Jorge D’Oeste.

Naquela ocasião, a mulher foi atacada pelas costas, uma vez que a marca de uma grande mordida foi encontrada atrás do pescoço. A idosa desapareceu por volta das 16h30 e foi encontrada às 18h, no interior da comunidade de São Judas Tadeu. Ontem, à tarde, a Polícia Ambiental fez patrulhamento na comunidade de Linha Formiga para ver se havia algum vestígio de onça no local.

Cuidados ao se deparar com grande felino
As pessoas devem tomar alguns cuidados básicos para evitar acidentes, entre os quais: não andar sozinho na mata; sempre conversar alto; ao se deparar com o felino evitar se agachar; não entrar em pânico e começar a andar lentamente para trás, se afastando do animal; não é recomendável sair correndo, porque pode estimular um ataque; se estiver em grupo não se desgarrar dos demais companheiros; manter o contato visual; se estiver acompanhado de criança deve erguê-la no colo; e no caso de um ataque, a pessoa deve lutar com o animal, pois se fingir de morto pode funcionar com um cão, mas pode dar errado com um felino.

Fonte e foto: Jornal de Beltrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *