Pinhal de São Bento é incluído na rota paranaense do queijo

O consumo de queijos tem aumentado, consideravelmente, no Paraná. No Estado, existem consumidores dispostos a adquirir produtos de qualidade e diferenciados. Para desenvolver novos negócios e novos atrativos turísticos, a Rota do Queijo Paranaense, a iniciativa é do Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR-Paraná) e do Governo do Estado. O projeto vai ampliar as possibilidades de emprego e renda para os produtores.

Na programação fora criado mapa com as queijarias que integram a Rota do Queijo Paranaense. Na região Sudoeste queijarias de Pinhal de São Bento, Salgado Filho, Santa Izabel do Oeste, Santo Antonio do Sudoeste, Francisco Beltrão, Dois Vizinhos, Chopinzinho, Saudades do Iguaçu, Palmas, Sulina e Itapejara do Oeste estão incluídas na rota.

O Estado pretende ser um destino de turismo gastronômico associado ao queijo, conforme a extensionista do IDR-Paraná, Valmira Antunes Dias. “O turismo rural será uma opção para a sucessão familiar”, afirma a profissional ao explicar que o escopo do Programa de Turismo Rural prevê a roteirização de propriedades envolvendo as principais cadeias produtivas, entre elas: o queijo e outros produtos lácteos. “A Rota vai oferecer atividade de turismo de experiência e promover o queijo paranaense”.

Valmira salienta que o projeto vai adequar e organizar a propriedade valorizando o meio rural e planejar as visitas para receber bem o turista.

BENEFÍCIOS – Produtores ou associações de produtores rurais assistidos ou atendidos pelo IDR-PR; Empreendimentos (queijarias) registradas nos Serviços de Inspeção Municipal (SIM), Estadual (SIE), Susaf ou Federal (SIF) ou Selo Arte podem participar da Rota do Queijo no Paraná. A extensionista do Instituto Valmira complementa que também podem participar da Rota propriedades com estrutura física e de pessoal que desejam receber turistas.

Ela enfatiza que a produção de queijo é uma ferramenta para diversificar a área dos produtores rurais ou até aos produtores de leite. “É a alternativa de diversificação na propriedade e de agregação de valor com a transformação do leite em queijos e também em outros produtos lácteos (manteiga, nata, bebida láctea…)”.

Outro fator a ser destacado para a promoção da Rota do Queijo Paranaense é a geração de emprego com a instalação de agroindústrias. “Não somente de lacticínios, como também de transformação de outras matérias-primas que tem demandado por mão de obra e que inclusive tem atraído ou estimulado os jovens a permanecer trabalhando nos empreendimentos rurais”.

O IDR-PR tem o desafio de despertar o interesse dos produtores para a atividade turística. “Aos produtores, o desafio é a busca constante pela qualidade do produto e dos serviços”, afirma Valmira.

Fonte e foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *