Pesquisadoras beltronenses lançam livro sobre governança em saúde

islene Titon, nutricionista, e Lirane Ferreto, professora da Unioeste, lançam o livro “Governança em saúde no olhar dos secretários municipais de Saúde”, pela Editora Appris, dia 26, no Instituto Gislene Titon, que fica na Rua Santa Maria Goretti, 438, Bairro São Miguel. A leitura é indicada para gestores da saúde, prefeitos, empreendedores, líderes, administradores, contabilistas, profissionais da saúde e população em geral, que busca entender o SUS.

As pesquisadoras destacam que o tema “governança em saúde” tornou-se importante a partir do Pacto da Saúde, em 2006, e com a obrigatoriedade de o Sistema Único de Saúde (SUS) ser organizado de forma regionalizada e hierarquizada. Dentro de um sistema em que as demandas são grandes e nem sempre os recursos podem atendê-las em sua totalidade, existe a necessidade de pactuação entre os entes federados para garantia de um atendimento eficaz e de qualidade, que resulte na otimização dos recursos disponíveis e principalmente na satisfação do usuário.

Assim, de acordo com Gislene, a governança em saúde exige dos secretários municipais de Saúde habilidade e capacidade em administrar os recursos e a política de forma ética, transparente e participativa, com objetivo de atender os princípios doutrinários e organizativos do SUS.

“O objetivo desta obra é conhecer a percepção dos secretários municipais de Saúde sobre o tema da governança em saúde. Trata-se de uma obra de cunho qualitativo e descritivo, a partir de uma amostra dos secretários municipais de Saúde da microrregião geográfica de Francisco Beltrão.”

Segundo Lirane, o perfil identificado refere-se a um secretário municipal de saúde do sexo masculino (57,8 %), idade média de 48 anos, que não possui o ensino superior (63,15%) e com atuação no SUS (50%). Dos entrevistados, 57,85% não souberam ou não opinaram sobre o tipo de gestão do SUS em seu município, 21,05% relatam exercer gestão plena e 15,78% semiplena.

“Todos os municípios apresentaram, no mínimo, um indicador que faz parte da prática de uma boa governança. Conclui-se que uma das questões centrais desta pesquisa foi o entendimento das secretarias municipais de Saúde sobre a questão da governança em saúde. Mesmo apresentando todos os elementos importantes para a implementação da governança em saúde, identificou-se que os secretários municipais de saúde necessitam de maior imersão sobre o tema.”

Mais informações com Gislene, pelo fone (46) 98400 9770.

Fonte: Jornal de Beltrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *