Lideranças defendem a continuidade dos trabalhos da deputada Luciana no Legislativo Paranaense

No último sábado (11), a deputada estadual Luciana Rafagnin (PT) realizou um encontro de avaliação dos trabalhos do seu mandato parlamentar, com o objetivo também de fazer um planejamento da atuação em 2022 na representação do povo paranaense na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Participaram desse encontro mais de 250 lideranças de 35 municípios das regiões Sudoeste, Centro-Sul, Campos Gerais, Litoral e Metropolitana, dirigentes de importantes segmentos sociais, como entidades da agricultura familiar, de sindicatos urbanos e rurais, de organizações das mulheres e coletivos de jovens, entre outros. Essas lideranças foram unânimes em defender a continuidade do mandato da deputada Luciana no Legislativo Paranaense, como importante para a garantia de conquistas por parte das organizações populares e também para a região Sudoeste, com forte presença da agricultura familiar e camponesa. “O Sudoeste precisa da deputada Luciana na Assembleia Legislativa. Sua atuação é essencial para o cooperativismo da agricultura familiar e à nossa região porque reforça e valoriza as nossas lutas, a defesa das nossas pautas”, disse o diretor financeiro da Unicafes-PR, André Mocelin.

De um modo geral, após o balanço apresentado dos trabalhos parlamentares, as avaliações foram positivas e a deputada pode colher nessa oportunidade também inúmeras sugestões para sua ação no próximo ano, que foram elaboradas em grupos de discussão e que serão sistematizadas nos próximos dias pela equipe de assessores. Nas falas das lideranças, foi destaque a percepção de que o mandato abre portas para as negociações junto às instituições do poder público no estado, principalmente com o governo, e que tem sido muito eficiente na proposição de pautas como as da área da saúde, da educação, da necessidade de diálogo e de respeito aos servidores públicos, na representação da agricultura familiar, das mulheres e da juventude paranaenses.

Para a integrante da direção estadual do Movimento dos Atingidos por Barragens, Maristela Costa Leite, “o mandato da deputada Luciana é sinônimo de trabalho intenso, especialmente por esse caráter de representatividade popular e por ser construído de uma forma coletiva, por muitas mãos e ouvindo e atendendo as demandas populares”, disse. A presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de Francisco Beltrão, advogada Mara Fornazari Urbano, que também participou do encontro de avaliação no sábado passado, disse que “Luciana faz um trabalho integrador, diverso e mostra ser capaz de se renovar, o que é plenamente democrático”. Ela acrescenta que essa forma de trabalhar e de somar esforços diferentes é essencial “nas lutas por efetivação e construção de um município, um estado e um país melhores”.

Para o agricultor familiar de Pérola do Oeste e membro da Direção Executiva da Assesoar, Paulo Roberto Czecalski, “o diferencial do compromisso parlamentar da deputada Luciana é fazer um mandato muito ligado à realidade do povo e pautado no que as organizações de trabalhadores e os movimentos populares têm levantado e indicado como as prioridades na defesa dos interesses da população”. Ele destaca entre essas atuações importantes, algumas mais recentes, como o projeto que proíbe a terceirização da merenda escolar, a abertura de canais para a manifestação das cooperativas e associações da agricultura familiar nesse debate e também a representação do segmento produtivo na crise hídrica, bem como a liderança que ela exerce no momento em que se acirram as retiradas de direitos.

“Luciana se coloca como uma voz do povo, dos movimentos sociais e das entidades”, disse o dirigente da Assesoar. “É importante para o Sudoeste continuar tendo uma forte representatividade daqui da região, mas que é ligada à agricultura familiar e às lutas dos trabalhadores e das trabalhadoras de um modo geral”, completou.

A deputada agradeceu a participação e as manifestações das lideranças, lembrando que a presença de todos fez diferença e fará muito mais na caminhada a partir de 2022. “O Brasil que queremos depende de nós, depende da nossa ação. Saímos desse encontro muito motivados a lutar por um projeto de Brasil com foco na inclusão social”, disse Luciana.

Fonte e foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *