Guto Silva confirma pré-candidatura ao Senado

O ex-chefe da Casa Civil do governo Ratinho Júnior, deputado estadual Guto Silva (PSD) confirmou hoje a intenção de disputar o Senado nas eleições de outubro. Por lei, Silva teria até o final de março para se desincompatilizar, mas afirma que decidiu deixar o cargo antes para deixou o governo antes do prazo legal de desincompatibilização de seis meses antes para ter mais liberdade para articular sua pré-candidatura.

Nas eleições deste ano, está em jogo apenas uma vaga para o Paraná no Senado. O ex-chefe da Casa Civil disputa a indicação de candidato da coligação que deve apoiar a reeleição do governador com outros nomes como o atual senador Alvaro Dias (Pode), o ex-deputado federal Alex Canziani (PSD), entre outros.

“A antecipação é justamente para que a gente possa ter mais liberdade, mais tempo para se dedicar à articulação da viabilidade da candidatura ao Senado. Acredito que é mais confortável para mim e também para o governador, na costura para a sua reeleição para o governo. É justamente para ter na Assembleia ter condição de com mais tempo percorrer com mais força o interior do Estado, organizar algumas propostas”, explicou o deputado, que volta à Assembleia após dois anos licenciado para compor o governo.

Para Silva, há espaço para uma candidatura alternativa a senador. “Tenho sentido das lideranças políticas e da população a vontade de mudança, de transformação. Precisamos de um Senado mais vibrante, defender com mais forças os interesses do Paraná”, avalia.

O deputado não descarta mudar de partido em busca de uma legenda para seu projeto político. “Estamos conversando bastante. Estou ouvindo diversos partidos. Tenho buscado escutar grandes partidos, partidos menores, para ver qual o melhor encaminhamento”, explicou. “Estou muito decidido nessa possibilidade de disputa. Acredito que é necessário alternativas para o eleitor para cada um apresentar suas propostas. Estou com muita energia para fazer esse debate. Tenho convicção de que o Paraná precisa de uma voz mais contundente. Dar uma chacoalhada no Senado”, afirmou.

Para Silva, a definição do candidato governista ao Senado vai depender das alianças nacionais. O PSD tem como pré-candidato à Presidência da República o atual presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD/MG). O governador Ratinho Jr tem boa relação com o presidente e pré-candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL). Além disso, o Podemos – que no Paraná apoia o governo Ratinho Jr – lançou a pré-candidatura do ex-juiz Sergio Moro à sucessão de Bolsonaro.

“É natural que, agora, o processo de articulação política. É natural que esse processo político depende ainda muito das alianças nacionais, que terão efeito, reflexo, nos palanques eleitorais dos estados. O que eu pretendo fazer agora é encorpar essa candidatura. É lógico que é importante o apoio do governador. Mas esse é um posicionamento precoce, porque nós não sabemos ainda como vão se comportar as questões partidárias, eleitorais. Seguramente em março já teremos um bom desenho de como se dará esse palanque nacional e o rebote nos estados. Então estou trabalhando para me viabilizar”, afirmou Guto Silva.

Na avaliação do ex-chefe da Casa Civil, o Paraná precisa de uma “cara nova” no Senado. Uma alternativa diferente, com mais dinamismo, de uma forma incisiva apontar os problemas. Buscar soluções junto ao governo federal para resolver problemas históricos do Paraná, a busca de recursos”, defendeu.

Fonte: Portal Bem Paraná – Foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *