Your API key has been restricted. You may upgrade your key at https://www.weatherbit.io.
Your API key has been restricted. You may upgrade your key at https://www.weatherbit.io.

Exportações paranaenses crescem 9% no primeiro bimestre de 2023

O ano de 2023 começou com resultados positivos para as exportações do Paraná. No acumulado de janeiro e fevereiro, o resultado consolidado das vendas para outros países fechou 9% maior do que o mesmo período de 2022. Enquanto que nos dois primeiros meses de 2022 o Estado vendeu US$ 2.774.587.427 para o Exterior, em 2023 esse valor subiu para US$ 3.024.900.433. O levantamento (veja AQUI ) é do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) a partir de dados do governo federal publicados nesta terça-feira (7).

Dos cinco produtos mais exportados pelo Paraná nos dois meses, quatro tiveram aumento nas negociações. Líder nas exportações paranaenses, a carne de frango in natura teve incremento de 21,1% no bimestre, subindo de US$ 478.009.022 ano passado para US$ 578.740.823 no período em 2023. Sozinha, a proteína de frango representou 19,1% de todo o volume exportado pelo Estado em janeiro e fevereiro.

O farelo de soja segue como o segundo principal produto enviado ao Exterior, com aumento de 49% nas vendas. A commodity passou de US$ 174.753.576 movimentados no primeiro bimestre do ano passado para US$ 260.396.297 em 2023.

As vendas de cereais e óleo de soja bruto, por sua vez, não só ocuparam a terceira e quarta colocação entre os produtos mais exportados, como tiveram o maior incremento. Com US$ 253.998.362 vendidos em janeiro e fevereiro de 2023, a exportação de cereais aumentou 225,6% em relação aos US$ 78.006.243 nos dois meses de 2022. Já a venda de óleo de soja bruto para fora teve variação ainda maior: 244,5%, passando de US$ 40.494.482 para US$ 139.489.835.

PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS – Entre os produtos industrializados, quatro tiveram aumentos expressivos nas exportações: automóveis, máquinas e aparelhos de terraplanagem e perfuração, veículos de carga e autopeças.

Segundo maior polo automotivo do Brasil, o Paraná exportou US$ 110.167.868 em veículos em janeiro e fevereiro, aumento de 79,5% em relação aos US$ 61.389.936 do mesmo período do ano passado.

As máquinas e aparelhos de terraplanagem e perfuração tiveram a melhor evolução nas exportações entre os produtos manufaturados nesse começo de ano. Em janeiro e fevereiro foram US$ 58.861.158 exportados, contra US$ 26.948.956 do período de 2022 – um aumento de 118,4%.

Já as exportações de veículos de cargas e de autopeças aumentaram 38,4% e 33,1%, respectivamente. A venda de veículos de cargas subiu de US$ 41.546.438 no primeiro bimestre de 2022 para US$ 57.489.248 em 2023. No caso das autopeças, as exportações passaram de US$ 32.616.280 para US$ 43.399.519 nesses dois meses de 2023.

DESTINOS – O Paraná exportou para 190 países em janeiro e fevereiro. O top 10 de maiores compradores do Estado no bimestre é composto por China, Estados Unidos, Argentina, Japão, México, Chile, Holanda, Colômbia, Índia e Paraguai.

A China segue isolada como maior importador do Paraná. O gigante asiático comprou US$ 311.690.368 em janeiro e fevereiro. Na segunda posição, os Estados Unidos compraram US$ 217.746.742 no período. Fechando o pódio dos três maiores compradores de produtos paranaenses vem a Argentina, com um volume negociado muito semelhante ao dos EUA: US$ 217.558.492.

Na quarta colocação vem o Japão, país onde o governador Carlos Massa Ratinho Junior está liderando uma missão de negócios para expandir a exportação de proteína suína e bovina do Estado. A economia japonesa adquiriu até aqui em 2023 o total de US$ 169.337.404, crescimento de 171,2% e que tende a aumentar com as negociações que estão sendo feitas neste mês de março no país pela missão organizada pela Invest Paraná, agência de captação de negócios do Governo.

NOVOS MERCADOS – Uma demonstração da força da produção paranaense é a conquista de novos mercados. As exportações do Estado tiveram aumentos significativos para países como Bangladesh (aumento de 346,3%, com US$ 51.744.609 movimentados), Iraque (aumento de 436,3%, com movimentação de US$ 22.925.903), Taiwan (aumento de 337,4% e US$ 22.905.819 movimentados) e Malásia (aumento de 679,7%, com movimentação de US$ 19.822.134).

A conquista de novos mercados está no planejamento do Governo do Estado. A Invest Paraná negocia para junho uma missão para Bangladesh, país com o qual o Brasil não tem tradição de relação bilateral. Entre os negócios que podem surgir dessa missão ao país asiático está a exportação de produtos alimentícios, como óleo de soja e açúcar, e a compra de produtos têxteis por empresas paranaenses.

Fonte: AEN  Foto: Cláudio Neves/Portos do Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *