“Estrada do colono” do lado argentino mostra que luta sudoestina é viável

A Rota Nacional 101 (RN 101) corta ao meio o Parque Nacional do Iguaçu no lado argentino — é como se fosse uma “Estrada do Colono” castelhana, similar à sudoestina, que separa Capanema de Serranópolis do Iguaçu em seus 17,5 quilômetros e que tem mobilizado a sociedade da região em defesa da sua reabertura. “Temos que defender a verdade: a Estrada-Parque Caminho do Colono é caminho comunitário e ecológico”, disse Márcio Geron, juiz aposentado de Capanema. Ele também aproveitou o lobby “ambientalista de Brasília” que tem se posicionado contra.

O deputado federal Nelsi Maria Vermelho (PSD) sobrevoou recentemente a região e registrou imagens dessa rodovia de grande importância para os povos da região.A RN 101 sai de Puerto Iguazú passa em Comandante Andresito (vizinha de Capanema) e segue até Bernardo Irigoyem, na divisa com Barracão e Dionísio Cerqueira (SC). O trecho que corta o Parque Nacional del Iguazú não é asfaltado e tem 32 quilômetros. Há cerca de dez anos o governo cogitou a possibilidade de asfaltar também esse trecho da RN 101, mas faltaram recursos.

“Antes do governo fechar as fronteiras por causa da pandemia, catarinenses, gaúchos e paranaenses utilizavam essa rodovia para encurtar distâncias. Muitos turistas faziam esse trajeto e chegavam até Foz do Iguaçu”, recordou Vermelho.

O parlamentar é autor do projeto de lei 984/19 que prevê para o Brasil a criação das unidades de conservação no país denominadas estradas-parques — e que beneficiaria a histórica Estrada do Colono, fechada pela primeira vez em 12 de setembro de 1986, depois reaberta por uns meses na virada deste século, e em seguida fechada novamente. O projeto de Vermelho passou pelas comissões e está perto de ser votado no plenário da Câmara dos Deputados, porque há cerca de 30 dias adquiriu a condição de “urgência”. Para a aprovação são necessários 257 votos.

“Ambientalistas”
Vermelho diz que alguns ambientalistas estão usando dois pesos e duas medidas, provocando prejuízos ao turismo e aos moradores das regiões Oeste e Sudoeste do Paraná. “Essa rodovia tem quase o dobro da Estrada do Colono, não causa danos ao meio ambiente e não provocou a ira dos ambientalistas”. O deputado recorda que as estradas-parques que ele defende terão todos os modernos equipamentos de segurança para evitar velocidade alta dos veículos. No caso específico da Estrada do Colono, haverá telas de proteção, diversos túneis e elevados para a passagem dos animais.

Ruta 19
Existe outra estrada argentina que liga a fronteira ao Sudoeste. É a Ruta Provincial 19 (RP 19) que sai de Puerto Iguazú, passa por Wanda e depois se liga com a RN 101. Essa estrada é toda asfaltada e corta um parque provincial. Os governantes argentinos disponibilizam muito mais espaços para o visitante conhecer e interagir com a natureza.

“Nosso foco principal é o turismo”, diz Vermelho
O projeto de lei 984/19, do deputado federal Vermelho, prevê a criação das unidades de conservação no país denominadas estradas-parques. Seu objetivo principal é criar novas opções de turismo ecológico, integrando homem e natureza sem prejudicar o meio ambiente.

No caso específico da Estrada do Colono, ela irá interligar duas regiões produtoras do Paraná e restabelecer o direito de ir e vir da população, interrompido com o fechamento da estrada há quase 35 anos. O deputado diz que esse modelo de estrada existe em todo mundo e não há nenhum desrespeito com a flora e a fauna. Essas estradas fomentam o turismo, geram emprego, renda e desenvolvimento.

“No Brasil, as estradas-parques são exploradas de forma incipiente. Se bem planejadas e geridas, podem se constituir em importante alternativa para o desenvolvimento do turismo em bases sustentáveis em um contexto de áreas protegidas; nosso foco principal é o turismo”, destaca Vermelho.

Ministro do Turismo a favor da Estrada do Colono
Em visita a Foz do Iguaçu recentemente, o ministro Gilson Machado (Turismo) foi questionado pela imprensa sobre o projeto do deputado Vermelho que pretende reabrir a antiga Estrada do Colono. Ele se mostrou a favor, destacando que “o mundo todo tem estradas-parque, Estados Unidos, na África”, e que estradas abertas “facilitam a fiscalização”. “Olha, tendo a garantia de proteção da natureza, é totalmente viável.”

Presidente Bolsonaro
No ano passado, o presidente Jair Bolsonaro, em visita ao Paraná, também se posicionou a favor da reabertura dos 17,5 quilômetros de Capanema a Serranópolis do Iguaçu, defendendo o turismo como opção de geração de riqueza. “No que depender de mim, vamos reabrir”, reiterou, explicando que, se o projeto do deputado Vermelho passar pelos trâmites legais no Congresso, ele assinará.

Fonte: Jornal de Beltrão – Foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *