AMSOP e entidades do Sudoeste definem reivindicações sobre rodovias para ANTT

Em uma videoconferência, na noite de quinta-feira, 11/03, a Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop) e os representantes das 21 entidades que assinaram o “Manifesto Público de lideranças do Sudoeste paranaense sobre a proposta de pedágios para o Estado do Paraná” definiram as três principais reivindicações sobre o projeto de concessão das rodovias da região, que serão apresentados na reunião técnica da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), no próximo dia 19, sobre o lote 6, que abrange as rodovias do Sudoeste.

Na reunião virtual, após orientações e esclarecimentos do consultor em Infraestrutura e Logística da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), João Arthur Möhr, a Amsop e as entidades chegaram ao consenso de que, diante do impacto na logística e vida social da região, é preciso incluir, no projeto, um acesso à Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), em Realeza, estudo de novos traçados para o contorno entre Francisco Beltrão e Marmeleiro e a inclusão do trecho entre Pato Branco e Palmas (trevo do Horizonte) no lote 6 de concessão, mas sem obras de duplicação neste trajeto e com uma tarifa menor de pedágio apenas para a manutenção do trecho.

A reunião técnica da ANTT será no próximo dia 19, das 14h às 17h, e toda a sociedade do Sudoeste é convidada a assistir através do Canal da Indústria no YouTube. Na ocasião, devem ser abordados, especificamente, detalhes dos projetos de ampliação de capacidade das rodovias, como a localização de duplicações, contornos, faixas adicionais, marginais, terceiras faixas, cruzamentos, passarelas e praças de pedágio. E sem entrar no mérito de modelo de concessão e valor de tarifas.

Fonte e foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *