Zucchi fala em aquisição de vacina, desde que reconhecida pela Anvisa

Prestes a deixar o Executivo de Pato Branco, o prefeito Augustinho Zucchi segue mantendo e liderando as ações de enfrentamento da covid-19 no município, que nessa terça-feira (8), confirmou o 26º óbito em decorrência de complicações provocadas pela doença.

Ainda nessa terça, 118 novos casos foram confirmados, — 69 do sexo feminino e 49 do masculino. Com isso, nas últimas 24 horas, Pato Branco passou a contabilizar 269 casos ativos confirmados. No mesmo intervalo de tempo, o município registou a espera de 447 exames de pessoas que são consideradas como suspeitas.

Em meio a crescente de casos, a saturação tanto do serviço público, — com o remanejamento de profissionais de unidades de saúde, para as unidades sentinelas que atendem exclusivamente os casos respiratórios —, e com a lotação dos leitos covid nos hospitais, que também registram o desgaste dos profissionais, Zucchi falou ao término da reunião quinzenal do Comitê de Enfrentamento da Pandemia no Novo Coronavírus em Pato Branco da possibilidade de aquisição de cerca de 100 mil doses de vacinas para imunizar 50 mil pessoas.

“Uma outra situação bastante importante. Procurei nesta semana trabalhar, com a possibilidade de fazer a aquisição da vacina porque todos nós sabemos que se esperar a vacina gratuitamente seja distribuída, certamente ela não vai imunizar em massa e certamente vai demorar”, disse Zucchi estimando que uma vacinação em massa, na rede pública, seria possível em maio ou junho.

Segundo ele, a postura de se antecipar a aquisição poderia ajudar. Zucchi comparou o polo de saúde de Pato Branco ao de Curitiba, — na segunda-feira (7), o prefeito Rafael Greca anunciou que vai adquirir doses da CoronaVac, após ter firmado uma parceria com o governador de São Paulo, João Doria.

“Assim que começar a imunização, certamente vai começar a sobrar leitos para as pessoas [contaminadas]. Na minha opinião, [a vacina] é a única forma de nós resolvermos essa questão”, disse o prefeito de Pato Branco revelando que para a aquisição das cerca de 100 mil doses, seria necessário um aporte financeiro de R$ 6 milhões a R$ 7 milhões.

“Temos condição de fazer essa aquisição. O Município está equilibrado financeiramente e orçamentariamente. Dá para fazer essa aquisição”, disse o prefeito revelando que além do entendimento do comitê, a promotora do Ministério Público do Estado do Paraná (MPPR), Silvana Cardoso Loureiro que acompanha as reuniões do conselho, vai consultar o MP, quanto a viabilidade deste processo.

Fonte: Diário do Sudoeste – Foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *