Sicredi Fronteiras perde uma de suas diretoras

A direção da Cooperativa de Crédito Sicredi Fronteiras PR/SC/SP comunicou, por meio de nota oficial, o falecimento de sua diretora-executiva Adriana Conceição Barros Mêes. “A cooperativa esteve ao lado da família em todo o período em que ela esteve internada e continua fornecendo apoio neste momento tão difícil.” Devido aos decretos referentes à pandemia, o velório e o enterro, ontem, seguiriam o protocolo municipal.

Adriana era colaboradora da Sicredi Fronteiras há mais de 30 anos e tinha uma visão estratégica. Conforme a nota oficial, Adriana se tornou referência no Sistema Sicredi, sendo a primeira mulher a assumir a função de diretora-executiva no sistema.

Conforme a nota da Sicredi Fronteira, Adriana tinha uma “alegria contagiante, determinação e compromisso; deixará um legado para toda nossa cooperativa, que se perpetuará por gerações”. Adriana saiu de Sabaudia, Norte do Paraná, sua terra natal, para trabalhar em Capanema, no fim da década de 1980.

Começou a trabalhar cedo
De origem simples, filha de produtores de café e servidor público, Adriana começou a trabalhar cedo para ajudar os pais, vendendo jabuticabas, cosméticos, foi office girl, frentista de posto de combustíveis e, aos 17 anos, iniciou a trajetória no cooperativismo de produção. “Morava em Sabaudia, trabalhava em Astorga e estudava em Arapongas. Foi um período de muita luta, esforço e dedicação, buscando aprendizado, formação e condições de ingressar no mercado de trabalho e assim apoiar a família”, contou no livro em comemoração aos 30 anos da Cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP.

A família
Ao se mudar para Capanema, encontrou uma cidade aconchegante e, com a experiência na cooperativa em Astorga, foi admitida como secretária e recepcionista na Coagro. O ano de 1990 foi mais marcante de sua vida, tanto no aspecto pessoal como profissional. E precisou superar a distância da família, conciliar a maternidade e o trabalho pois, em setembro de 1990, Adriana deu à luz, Paola, a primeira filha e, em dezembro, já estava na Coagro, auxiliando na constituição e fundação da primeira cooperativa de crédito no extremo Sudoeste do Paraná, a Credesul. As atas e o estatuto social levam sua caligrafia. Nesse período, teve o apoio dos amigos João Werle e Vera, José César Wunsch e Bernadete.

Anos depois, Adriana se casou com Luiz, com quem teve Luíza, a segunda filha. Em 1997, com a adesão da Credesul ao Sistema Sicredi, teve oportunidades de realizar capacitações e imersões em cooperativas de crédito, como em Erechim e Porto Alegre (RS). Com a chegada da segunda filha e a aposentadoria dos pais, a família se uniu novamente em Capanema.

Era formada em Administração de Empresas, pós-graduada em gestão financeira e contábil e controladoria, MBA em gestão e varejo bancário e inúmeras formações em universidades renomadas no Brasil e no mundo, como a Insead, em Cingapura, Singularity no Vale do Silício, EUA.

Fonte: Jornal de Beltrão – Foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *