Programa Revitis e IDR-Paraná promovem 7ª Jornada da Fruticultura

Nesta quinta-feira (26), a partir das 9 horas, acontece a 7º Jornada Tecnológica em Fruticultura, com o tema a “Deriva de herbicidas na videira”. O evento, online e gratuito, é organizado pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná Iapar-Emater (IDR-Paraná) e pelo Programa de Revitalização da Viticultura Paranaense (Revitis), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento. A transmissão será pelo Youtube do IDR-Paraná.

Esse é o segundo de uma série de eventos com o intuito de revigorar a produção de uvas e seus derivados no Paraná. “Essa iniciativa faz parte de um plano de capacitação para técnicos e produtores, além de eventos online mensais sobre temas ligados à viticultura e produção de derivados da uva”, explica o coordenador estadual do Revitis, Ronei Andretta. Os próximos encontros virtuais serão divulgados na página do programa no site da Secretaria da Agricultura e Abastecimento.

A pesquisadora do IDR-Paraná, Alessandra Maria Detoni, explica que desde 2016 acontecem encontros presenciais no Polo de Pesquisa do IDR em Santa Tereza do Oeste visando a difusão e transferência de tecnologias em viticultura. “Esse ano, em virtude da pandemia, optamos pelo evento virtual”, diz.

ALERTA – deriva de herbicida é o desvio da trajetória das gotas produzidas na pulverização para fora do alvo que se pretende atingir. Segundo Alessandra Maria Detoni, a escolha do tema se deve a eventos recentes de deriva, que causaram grandes danos para a safra de uva 2020. O objetivo é orientar e alertar os agricultores para o uso consciente dos herbicidas hormonais.

Serão apresentados, na Jornada, alguns casos de deriva em pomares de uva em todo o Estado, o mecanismo de ação dos herbicidas hormonais na planta, a situação atual do uso de herbicidas hormonais e o que pode acontecer no futuro, em virtude da possibilidade de liberação de outros princípios ativos, e como ocorre a fiscalização dos casos de deriva de herbicidas em culturas sensíveis.

PROGRAMAÇÃO – Participam do evento o engenheiro agrônomo e presidente da Associação Norte Paranaense de Estudos em Fruticultura (ANPEF), Werner Genta; a pesquisadora e professora da Universidade Federal do Paraná, Katia Christina Zuffellato-Ribas; o pesquisador e docente da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Denis Fernando Biffe, e o engenheiro agrônomo e coordenador do Programa de Defesa do Alimento Seguro da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), João Miguel Toledo Tosato.

REVITIS – O Revitis foi lançado em novembro de 2019, apoiado nos eixos de incentivo para a produção, reorganização da comercialização, desenvolvimento do turismo e apoio à agroindústria. Desde então, foi realizado um diagnóstico com mais de 300 produtores que apresentaram os maiores problemas da cadeia produtiva da uva. A partir disso, foi produzido um documento descrevendo as ações a serem desenvolvidas nos eixos pesquisa e produção, agroindústria, comércio e turismo.

Também está em processo de implantação um viveiro em Santa Tereza do Oeste, para produzir material genético de qualidade. A capacidade é para 150 mil estacas por ano. O programa propiciou, ainda, a criação de uma rede com mais de 15 centros de pesquisa.

Neste ano, foram executados alguns projetos piloto, com aquisição de mudas sadias e insumos para agricultores de Bituruna, Mato Rico, Boa Ventura de São Roque e Pitanga.

Fonte e foto: Agência Estadual de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *