Primeiro trimestre de 2021 foi o melhor da história do Paraná no trabalho formal

O Paraná encerrou o primeiro trimestre de 2021 com 78.484 novas carteiras assinadas, quarto maior saldo de contratações do País. O resultado é o melhor do Estado para o período desde 2004, ano que dá início à série histórica segmentada do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O balanço trimestral foi alcançado pelas conquistas históricas de janeiro e fevereiro, os dois melhores meses da história do Paraná na geração de empregos. O mercado de trabalho do Estado teve saldo de 25.351 novos empregos em janeiro, 41.626 em fevereiro e 11.507 em março.

Nesse último mês do trimestre, o resultado foi o melhor desde 2014. O ano que chegou mais perto recentemente foi 2015, com 10.174. Em 2013 foram 17.448 vagas.

O Paraná teve 17 registros positivos nos três primeiros meses dos últimos 18 anos. Apenas um trimestre registrou perdas: em 2016, com déficit de 4.831 vagas. Os 78.484 empregos formais alcançados em 2021 foram 50,5% maior do que o melhor registro da série até então, em 2008, com 52.132 vagas. O Estado também registrou números expressivos em 2010 (50.818) e 2011 (48.682).

“O Estado tem conseguido dar respostas positivas na geração de empregos, mesmo diante do cenário da pandemia. Apesar dos problemas pontuais em alguns setores, que demandam recuperação mais lenta, há muita confiança dos empresários na retomada da economia no Paraná. Há um bom ambiente de negócios e estamos estimulando o mercado com diversos pacotes econômicos e investimentos públicos”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

“Há uma dedicação de todos no Paraná, seja no setor público ou privado, para criar empregos. E temos percebido que a recuperação está acontecendo na Capital e no Interior, o que mostra que os municípios têm se fortalecido”, acrescentou o secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.

O estudo foi realizado pelo Departamento do Trabalho e Estímulo à Geração de Renda da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho e leva em consideração as mudanças de metodologia do Ministério da Economia e os ajustes da pasta federal. Outro destaque no primeiro trimestre levantado pelo Departamento foi a colocação de 21.914 pessoas no mercado de trabalho pelas 216 Agências do Trabalhador do Paraná, o que representa 27% dos empregos do período.

“Temos uma capacidade de atender as empregas muito grande no Estado. Trabalhamos de maneira integrada e segmentada para atender as demandas do setor empresarial e neste ano, como novidade, também estamos ofertando microcrédito para aqueles que têm perfil mais empreendedor”, acrescentou Suelen Glinski, chefe do Departamento do Trabalho e Estímulo à Geração de Renda. “Esse atendimento personalizado é um diferencial do Paraná”.

Fonte e foto: Agência Estadual de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *