Polícia Civil apreende menores envolvidos em incêndio de escola em Ampére

O incêndio que destruiu a secretaria da Escola Municipal José Arnoldo Dresch em Ampére, na noite desta quarta-feira, 7, foi provocado por três menores de idade. A Polícia Civil em rápida ação conseguiu identificar e apreender os envolvidos na situação. São dois irmãos, um de 14 anos e outro de 9 anos, e outro menino de 12 anos. Eles disseram em conversa com a delegada Tais Melo que entraram no local para provocar baderna. Em outras duas oportunidades eles já haviam invadido a instituição, mas os danos foram menores.

O trabalho de investigação começou tão logo o fato chegou ao conhecimento da delegada. Com base nas imagens das câmeras de segurança e com ajuda de informações repassadas por algumas pessoas foi possível chegar até os envolvidos. Dois deles moram no bairro rondinha, mesma localidade onda fica a escola, e o outro no bairro Santa Mônica. Em entrevista ao Jornalismo Ampére AM e Interativa FM, dra Tais Melo, informou que os garotos estavam brincando no parque Fundo de Vale e decidiram por volta das 18h30 ir até a escola com a intenção de bagunçar. “Eles disseram que acharam um isqueiro quando estavam brincando e decidiram ir na escola para praticar os atos de vandalismo. No pátio eles espalharam papel higiênico e depois invadiram a secretaria.”

Em um dos blocos da escola, em um corredor, eles espalharam álcool em gel que acharam e colocaram fogo em papéis. Para a delegada eles contaram que após o isqueiro parar de funcionar o menor de nove anos foi até um bar que fica perto dali para comprar outro. Na sequencia invadiram uma sala e não encontraram nada de importante para queimar. Na sala ao lado eles entraram por um janela e começaram a queimar documentos que estavam em um armário. Para não serem percebidos deixaram a luz apagada, jogaram tinta nas paredes, rasgaram e queimaram papéis.”

A nossa reportagem conversou com as mães dos meninos. Elas comentaram o que afirmaram para a delegada, que os filhos estavam brincando e não perceberam nada de estranho quando as crianças chegaram em casa. Uma delas ficou sabendo do incêndio pela página do Facebook da Rádio Ampére e a outra apenas quando a polícia chegou em sua casa. Os envolvidos foram encaminhados para O Ministério Público, onde serão ouvidos pelo promotor Dr Philipe Salomão marinho de Araújo.

Dra Tais agradeceu aqueles que colaboraram coma s informações. “Tivemos apoio da Polícia Militar, que inclusive foi conosco nas residências dos envolvidos. Também a prefeitura com informações importantes e cedendo as imagens para o nosso trabalho.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *