Pesquisadores desenvolvem leite fermentado à base de pinhão

Projeto de pesquisa desenvolvido pela Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) criou um leite fermentado à base de leite e farinha de pinhão. Já patenteado, o produto pode entrar no mercado de alimentos lácteos.

A coordenadora do projeto é a professora doutora Luciana Oliveira de Fariña, que atua nos Campi da Unioeste em Marechal Cândido Rondon e Cascavel. Ao Departamento de Jornalismo da Rádio Club de Palmas, ela contou que ideia do projeto surgiu quando fez uma viagem ao interior do Estado em área de cultivares de Araucária. Na ocasião, surgiu a hipótese de utilizar o pinhão de uma forma inovadora.

Além do leite fermentado, foi criado também um queijo com base de pinhão. Destaca a pesquisadora que o desenvolvimento de novos produtos alimentícios torna-se cada vez mais desafiador, à medida que cresce a demanda dos consumidores por produtos saudáveis.

Outro ponto destacado é que o desenvolvimento de produtos utilizando o pinhão, serve também como fomento à preservação da araucária, transformando o pinhão em um produto agrícola de potencial para utilização pela indústria.

O leite fermentado integrou a primeira edição do programa estadual de Propriedade Intelectual com foco no Mercado (PRIME), em parceria com Sebrae, Governo do Paraná, SETI e Fundação Araucária.

Com a patente depositada, a Unioeste poderá transferir a tecnologia ao setor industrial, para que o novo produto possa ser comercializado, entrando no mercado de leites fermentados, iogurtes, dentre outros.

Fonte e foto: Assessoria com Portal RBJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *