Na posse da cúpula do TJ, governador destaca parceria durante a pandemia

O governador Carlos Massa Ratinho Junior destacou nesta segunda-feira (01.02) a parceria do Poder Executivo com o Judiciário que permitiu, entre outras ações, ampliar a estrutura do Estado para o combate à pandemia da Covid-19 e destravar mais de R$ 2 bilhões em pagamentos de títulos de precatórios apenas em 2020. O discurso foi feito durante a cerimônia de posse da nova cúpula diretiva do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) para o biênio 2021/2022.

O novo presidente é o desembargador José Laurindo de Souza Netto, que atuou como 2º vice-presidente do Tribunal no último biênio. Ele substituiu o desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira, que comandou órgão entre 2019 e 2020.

“A parceria com os demais Poderes, neste caso o Judiciário, tendo à frente o desembargador Adalberto Xisto Pereira, não mediu esforços para ajudar o Paraná a enfrentar a pandemia. Somente no ano passado o Tribunal de Justiça repassou R$ 101 milhões ao Fundo Estadual de Saúde para o enfrentamento da doença. Um gesto que demonstrou, além de solidariedade, a preocupação com a saúde e com a vida dos paranaenses”, ressaltou o governador.

Ratinho Junior lembrou que foi graças a essa união de esforços entre Executivo e Judiciário que possibilitou a quitação de precatórios estimados em mais de R$ 2 bilhões apenas no ano passado. Valor que dobra quando considerado o biênio entre fevereiro de 2019 e janeiro de 2021, com a liberação de R$ 4.001.151.026,35 em títulos, segundo o próprio Tribunal.

Dinheiro esse que, reforçou o governador, permitiu diminuir a fila de credores, priorizando muitas vezes o pagamento de dívidas com os mais idosos, para que possam usufruir do dinheiro, em vida. “Injetamos recursos na economia, em um momento de extrema necessidade. Meu ideal de governo sempre foi unir a todos em prol de um projeto único, de benefício do Estado do Paraná”, disse Ratinho Junior.

O governador destacou, ainda, outros pontos que permitiram a modernização do Tribunal de Justiça. Citou a realização de exames gratuitos de DNA para reconhecimento de paternidade e o reconhecimento de firmas em cartórios por meio de biometria. “O desembargador José Laurindo fez parte, como segundo vice-presidente, desta modernização do judiciário e tenho convicção de que dará continuidade ao processo agora que assume a presidência do Tribunal de Justiça”, afirmou.

Fonte e foto: Agência Estadual de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *