Mapa da Rota do Queijo Paranaense inclui 29 propriedades de diversas regiões do Estado

Agora vai ficar mais fácil conhecer o novo roteiro turístico do Paraná. Nesta quarta-feira (9) foi lançado o mapa, dividido por regiões, com as informações e locais de todas as 29 propriedades que fazem parte da Rota do Queijo Paranaense. O lançamento aconteceu durante a ExpoBel – feira multisetorial em Francisco Beltrão, no Sudoeste do Paraná.

Iniciativa do IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater), a rota foi lançada no final do ano passado e tem a intenção de incentivar o turismo rural, com a produção de queijos como principal atrativo.

De acordo com o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, que acompanhou o lançamento, a Rota do Queijo é um arranjo mercadológico que fortalece o produto paranaense e que, a partir de agora, ganha uma organização e visão de mercado ainda melhor.

“Este conjunto de forças, graças à união entre setores do Governo e prefeituras, ganha um contorno com estratégias corretas para estimular o crescimento da produção e, através do queijo, agregar valor ao leite e transformá-lo em mais uma cadeia vitoriosa no mercado”, reforça Ortigara.

Natalino Avance de Souza, diretor-presidente do IDR-Paraná, ressaltou a importância de se pensar em densidade de renda para criar uma agricultura mais rica e sustentável. “É isso que estamos discutindo aqui. A geração de renda, a qualidade de vida do agricultor, a manutenção do homem no campo e isso só é possível com o alinhamento de pessoal. O IDR-Paraná, sozinho, não faz a diferença, mas com estas iniciativas temos uma forma diferente de pensar o rural”, afirma.

Além do mapa, foi lançado o material publicitário do roteiro com informações como endereço, contato e queijos produzidos em cada propriedade.

Terezinha Busanello Freire, coordenadora estadual de Turismo Rural do IDR-Paraná e idealizadora da rota, ressalta que este momento simbólico marca um passo muito importante para as queijarias participantes

“Durante este período, entre o lançamento até hoje, fizemos um trabalho intenso para consolidar as agroindústrias na parte de certificação e de turismo, que são pontos necessários para a comercialização. O material de divulgação lançado hoje ajuda a atingir o grande objetivo do projeto que é a geração de renda aos produtores”, diz Terezinha.

FAMTOUR – O Sudoeste do Estado foi, também, o destino das agências de viagens que participaram do primeiro Famtour organizado pelo IDR-Paraná, em parceria com a Secretaria Estadual da Agricultura e do Abastecimento (Seab). Famtour é definido pelo Ministério do Turismo como uma forma de promoção do produto turístico e consiste em convidar agentes de viagem para visitar o destino e, desta forma, conhecer o local e saber o que pode oferecer ao cliente.

A visita foi realizada em duas propriedades da região – à queijaria Vidalat, de Francisco Beltrão, e à Queijaria Martinazzo, de Itapejara d’Oeste. “A região do Sudoeste compreende a maior parte de queijarias integrantes da Rota, além da característica forte na consolidação do queijo. Por esse motivo foi escolhida como destino deste primeiro Famtour, mas é claro que gostaríamos de ir em todas as propriedades”, destaca Terezinha Busanello.

Inicialmente, o Instituto cadastrou 29 propriedades em 23 municípios de várias regiões do Estado, onde se produz desde queijos finos até os coloniais. A meta é ampliar o número de agroindústrias e estabelecer a produção de queijos como um atrativo para turistas do Estado e de todo o País.

A coordenadora estadual de Turismo Rural do IDR-Paraná disse que a proposta é fazer com que os produtores de queijos interessados em trabalhar com turismo rural estejam conectados. “O Paraná é o segundo maior produtor de leite do País e o queijo tem um grande poder de agregar valor à produção, além de um forte apelo turístico gastronômico. A nossa meta é identificar mais produtores e ampliar o número de participantes da rota”, salienta Terezinha.

Confira as propriedades visitadas:

Queijaria Vidalat (Francisco Beltrão) – A produção começou em 1970 para ajudar no sustento da família. A ideia inicial era agregar uma renda extra.

Em 1990 foi uma das primeiras agroindústrias da cidade a conseguir certificado de inspeção municipal. Desde então, a produção tem foco no queijo colonial, tradicional da cultura regional. Em 2019 ganhou medalha de bronze no concurso Prêmio Queijo Brasil. E, em 2020, foi a primeira queijaria do município com certificação Susaf – PR (Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte do Paraná).

Agora, de olho no turismo rural, ao participarem da Rota do Queijo, os proprietários pretendem divulgar ainda mais a marca e a qualidade do produto, além de valorizar os queijos coloniais do Sudoeste do Paraná.

Em novembro de 2021 lançaram, além dos queijos coloniais, o segundo produto da marca: o queijo colonial temperado ao vinho, e já estão testando o terceiro que é o colonial maturado.

Queijaria Martinazzo (Itapejara d’Oeste– Em 1990 a proprietária Roseli Martinazzo começou a fazer queijos coloniais, cuja receita tinha aprendido com a sogra, para vender na vizinhança e aos amigos.

A procura foi aumentando e construiu a queijaria. Em 2018 conseguiu a certificação para aumentar as vendas e comercializar nos mercados da região. O produto foi aprovado e as vendas cresceram. O queijo já foi premiado em Curitiba e em Florianópolis, com medalha de ouro no concurso Queijo Brasil.

Um dos segredos, destaca a proprietária, é estar sempre de olho no manual de boas práticas. A queijaria preza pela sanidade dos animais e também segue à risca as práticas de higiene e alimentação deles para garantir a qualidade do produto.

PRESENÇAS – Também participaram do lançamento o diretor-presidente da Adapar, Otamir Cesar Martins; o presidente da Paraná Turismo, Irapuan Cortes Santos; o prefeito de Francisco Beltrão, Cleber Fontana; a chefe do núcleo regional da Seab de Francisco Beltrão, Denise Adamchuk; a chefe do núcleo regional de Pato Branco, Leunira Tesser; e lideranças da região.

Fonte: AEN  Foto: IDR-PARANÁ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *