Lacen homologa UTFPR de Dois Vizinhos no sistema estadual de exames do covid-19

Desde segunda-feira (18), o Laboratório Multiusuário de Análises Moleculares e Biologia Molecular (BioMol), da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Câmpus Dois Vizinhos, faz parte da rede estadual de análises da covid-19 do Laboratório Central do Estado (Lacen).

O BioMol tem por objetivo atender a demanda de exames para testagem da covid-19 através do RT-PCR. No entanto, tem capacidade para realizar qualquer tipo de investigação molecular, como dengue, febre amarela e chikungunya.

Desde sua inauguração, em novembro de 2020, o laboratório estava autorizado apenas a analisar amostras de pacientes suspeitos da covid-19, sem emitir nenhum laudo do resultado. Com a homologação do Lacen, nesta semana, tornou-se oficial perante o Estado na comprovação das análises relativas à doença. Antes da aprovação, o BioMol havia examinado 80 amostras clínicas com o intuito de preparar a documentação e homologação junto ao Laboratório Central.

Até o momento, quatro mil kits de testes RT-PCR e dois mil kits de extração já foram encaminhados ao BioMol. Porém, trabalha-se junto a Secretaria de Saúde de Dois Vizinhos a possibilidade da realização de mais exames, de forma estratégica, para monitorar e frear a contaminação do coronavírus. O resultado das análises no laboratório da universidade fica pronto em até 48 horas.

Investimentos
De acordo com o diretor-geral do câmpus, Everton Lozano, para a implantação do laboratório foram investidos R$ 700 mil. Essa quantia foi levantada através de parceria entre a reitoria da UTFPR, do câmpus Dois Vizinhos, do Rotary Internacional e da prefeitura do município. “Não estão nesse cômputo os auxílios e doações recebidos de várias empresas, que permitiram a compra de roupas especiais, máquina de lavar, freezer e insumos”, explicou Lozano.

Equipe
Até o momento, atuam no laboratório 18 pessoas. Entre elas, sete são professoras doutoras em Biologia Molecular, quatro são mestrandos em Biotecnologia e outras sete são alunos de graduação na universidade.

Conforme o diretor-geral do câmpus, antes de ingressarem no projeto, tanto os alunos quanto os professores foram capacitados, de acordo com os protocolos de análises internacionais, pela própria UTFPR.

Fonte e foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *