Homem que matou idoso em Ampére é condenado a 20 anos de prisão

Terminou por volta das 20h desta sexta-feira, 25, a sessão do júri popular realizado em Ampére, que condenou Everton Santos da Silva pelo crime de homicídio qualificado. O corpo de jurados, formado por sete pessoas (quatro mulheres e três homens), decidiu que ele matou o idoso Antonio da Silva em agosto de 2019, em uma ação de grande repercussão na época. A pena fixada pelo juiz da comarca local, Dr Alexandre Afonso Knakiewicz, foi de 20 anos em regime fechado. Assim que os trabalhos foram encerrados o homem foi encaminhado para a Penitenciaria Estadual de Francisco Beltrão, onde já estava preso e aguardava pelo julgamento.

O júri começou por volta das 9h com o sorteio dos jurados. Na sequência as testemunhas foram ouvidas e questionadas pela acusação, que teve a frente do trabalho o promotor público Dr Philipe Salomão Marinho de Araújo, e pela defesa, que atuou o advogado Gilson Luis Paschoal. O réu foi interrogado e pode dar a sua versão do caso, sendo que ele negou a autoria do homicídio. Porém, ao final os jurados decidiram pela condenação de Everton.

O CRIME
Na noite do dia 15 de agosto de 2019 o idoso Antônio da Silva, que residia no bairro Colina Verde, foi morto com requintes de crueldade. Ele teria sido assassinado com uma faca, depois foi decapitado e o corpo foi queimado após a casa ser incendiada. Na época a Defesa Civil foi acionada para combater o sinistro e quando o fogo foi controlado, por volta das 21h daquela noite, foi encontrado o corpo da vítima dentro do imóvel.

A Polícia Militar esteve no local e acionou a Polícia Civil. A equipe da delegada Tais Melo começou os trabalhos de investigação naquela noite, e após algumas diligências com vizinhos, conhecidos e familiares de Antônio, iniciou a busca pelo suspeito de ter praticado o homicídio. No dia seguinte, na manhã de 16 de agosto daquele ano, ele foi preso em flagrante, pois as diligências foram ininterruptas desde o crime até sua localização. Os investigadores encontraram Everton escondido em um quarto de hotel no centro da cidade.

O homem foi preso e até agora aguardava o julgamento.

Foto: Arquivo Rádio Ampére

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *