Governo da Argentina flexibiliza a entrada de turistas

O governo argentino decidiu flexibilizar os requisitos de entrada no País. A partir de amanhã, turistas de países vizinhos terão o mesmo tratamento que os cidadãos argentinos e serão dispensados de apresentar um teste de PCR para ingressar no País. O novo protocolo também permite o ingresso de não vacinados total ou parcialmente, desde que obtenham uma ‘exceção de vacinação’ apresentem testes e façam quarentena. Esta decisão deve favorecer o comércio nas cidades de fronteira entre o Brasil e Argentina e o turismo do lado argentino.

Apoiado na predominância da variante Ômicron, que tende a não afetar os vacinados com a forma grave da covid-19, o governo argentino decidiu flexibilizar o protocolo sanitário de entrada no País. As medidas publicadas no Diário Oficial, quarta-feira, 26, estabelecem que, a partir de sábado, argentinos e residentes, mas também brasileiros, uruguaios, paraguaios, bolivianos e chilenos que estiverem com o esquema vacinal completo, há mais de 14 dias poderão entrar na Argentina sem testes de covid-19, seja exame PCR ou de antígeno. Estes também ficarão isentos da quarentena preventiva.

Com as novas medidas, o governo quer facilitar a entrada de brasileiros, que são os que mais visitam a Argentina e também os que mais gastam no País.

Menos exigências para vacinados
Até agora, a entrada no País era permitida para os argentinos e estrangeiros residentes, além de turistas estrangeiros, mas todos deviam apresentar esquema de vacinação completo e teste de PCR negativo, realizado no máximo até 72 horas antes da viagem.

Também deviam ficar em quarentena e apresentar um segundo PCR entre o terceiro e o quinto dia depois da entrada no território.

A partir de sábado, para quem estiver com o esquema vacinal completo, só será necessário o preenchimento on-line, até 48 horas antes do começo da viagem, de um formulário com valor de declaração juramentada ao qual será necessário anexar uma cópia digitalizada do certificado de vacinação.

No caso dos turistas, também será preciso apresentar um seguro internacional de saúde com cobertura prevista para a covid-19.

Não vacinados poderão entrar
As medidas contemplam também aqueles que não estiverem vacinados, e aqueles que estão de forma parcial.

Se for argentino ou estrangeiro residente sem nenhuma dose ou com apenas uma dose realizada, a pessoa poderá entrar na Argentina, mas terá de apresentar um teste de PCR negativo, realizado no máximo 72 horas antes do início da viagem, ou um teste de antígeno, dentro das 48 horas prévias.

No caso dos não vacinados ou com esquema de imunização incompleto, será obrigatória uma quarentena de sete dias, contados a partir do dia do teste. Não será necessário um novo teste posterior a esse prazo.

Se o não vacinado ou parcialmente vacinado for um turista estrangeiro, além da exigência de um teste de PCR ou teste rápido negativo, e de uma quarentena de sete dias, será preciso ainda conseguir uma ‘exceção de vacinação’ e contar com um seguro de saúde internacional contra a covid-19.

A ‘exceção de vacinação’ deve ser obtida com as autoridades migratórias competentes ou por meio de uma certificação emitida em um consulado argentino.

Fonte: Jornal de Beltrão – Foto: Rossy Ledesma/Jornal da Fronteira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *