Governador se reúne com Poderes para discutir cenário da pandemia

O governador Carlos Massa Ratinho Junior se reuniu nesta segunda-feira (8) com o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargador José Laurindo de Souza Netto, e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano, para reforçar o pedido de apoio institucional no enfrentamento da pandemia. O encontro acontece na semana que marca um ano da confirmação dos primeiros casos ao Estado e no momento mais delicado da emergência em saúde pública, com aumento de casos, óbitos e internações.

“O Paraná encarou esse primeiro ano de pandemia com muita seriedade e contou com apoio do Tribunal de Justiça, da Assembleia Legislativa, do Ministério Público, do Tribunal de Contas, da Defensoria. Todos sempre foram muito solícitos e parceiros. Essa união nos ajudou a tomar decisões difíceis e a amenizar os problemas lá na ponta para as pessoas”, disse Ratinho Junior. “Mas era um cenário sem a variante amazônica, que é mais agressiva. A realidade agora é outra”.

O governador citou que a circulação da nova cepa tem aumentado os índices de hospitalização de pessoas mais jovens e a fila da espera por leitos, que passou de pouco mais de 40 (base de 2020) para mais de 900. Para responder a essa demanda, o Estado aumentou os leitos de UTI e enfermaria nos últimos dias, chegando a quase 700 em apenas 12 dias, o que corresponde a dois hospitais de campanha. Nos próximos dias mais 1.000 leitos de enfermaria devem ser habilitados na rede.

O governador também citou o aumento das dificuldades de aquisição de insumos e equipamentos, seja por imposição do mercado, seja pelo processo licitatório. Enquanto isso, o Estado está formando uma rede com empresas e cooperativas dispostas a doar monitores e respiradores. A ideia é ganhar velocidade para atender esse novo momento da pandemia. “Mais uma vez vamos precisar de todos os Poderes. Teremos 15 dias muito difíceis pela frente e queremos ter todos ao nosso lado nessa frente de batalha”, disse Ratinho Junior.

Ele também apresentou as novas medidas restritivas adotadas na sexta-feira e elencou a infraestrutura criada pelo Paraná desde o começo da pandemia, com a formatação da rede de atendimento exclusivo para Covid-19 com leitos de UTI e de enfermaria, dobrando a quantidade até então existente no Paraná nos últimos 30 anos. “Há muita solidariedade nas instituições do Paraná e estamos abertos a qualquer tipo de orientação ou sugestão. Temos a tranquilidade e a humildade de ouvir e absorver as lições”, afirmou o governador.

CENÁRIO – O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, elencou as dificuldades do momento, mas afirmou que o Paraná conta com uma rede robusta de atendimento e não deixará ninguém desassistido. São quase 1.500 leitos exclusivos de UTI abertos em um ano e possibilidade de ampliação, nos próximos dias, de leitos de enfermaria e de semi-intensivo. Ele destacou que o Estado já investiu R$ 1 bilhão diretamente na estratégia de combate à Covid-19 e tem a melhor estratégia de testagem e os números mais fidedignos do País.

“Todo esforço que fizemos até aqui foi planejado. Com a nova cepa e a demora da chegada da vacina estamos apreensivos. Essa variante amazônica tem poder de contágio de quatro a seis vezes maior e pode causar reinfeção. O tempo de permanência das pessoas nos hospitais também aumentou 10%. Ou seja, sem fazer nada é como se tivéssemos perdido 10% de leitos”, afirmou o secretário.

Fonte e foto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *