Furtos e roubos caem em todas as regiões do Paraná em 2020

Os furtos e roubos caíram em todas as regiões no Paraná entre os anos de 2019 e 2020. A redução foi de 10,1% na modalidade criminosa praticada sem violência (de 155.070 para 139.284) e de 31,8% em roubos (de 48.734 para 33.238), segundo balanço divulgado nesta terça-feira (23) pela Secretaria de Estado da Segurança Pública.

Os dados foram consolidados pelo Centro de Análise, Planejamento e Estatística (CAPE) a partir dos registros dos boletins de ocorrências das polícias Militar e Civil. Eles abrangem análises dos 399 municípios do Paraná a partir das Áreas Integradas de Segurança Pública (AISP).

Este resultado é fruto da preparação das forças policiais mesmo em um ano de inúmeras dificuldades provocadas pela pandemia do novo coronavírus. “A redução destes crimes no Estado é reflexo de um trabalho de planejamento contínuo, com mais viaturas nas ruas e policiais mais bem preparados”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares. “A nossa preocupação maior, além da redução dos números, é trazer mais segurança para os paranaenses”.

Para o comandante-geral da PM, coronel Hudson Leôncio Teixeira, o trabalho de planejamento e integração com as demais forças de segurança foram preponderantes para a diminuição dos índices criminais. “Este resultado é fiel ao planejamento que os batalhões têm feito. Nos pautamos nas estatísticas fornecidas pela secretaria e pela própria PMPR, ou seja, as viaturas e as forças são aplicadas nos horários e locais com maior incidência. Com essas operações e patrulhamentos, houve a redução significativa”, destacou.

O delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, acrescentou que o profissionalismo e a dedicação dos policiais resultam em investigações qualificadas. “Isso coíbe a prática de crimes. Somada a isso, a integração com outras forças de segurança contribui para a melhoria da segurança pública em todo o Estado. Outro fator importante para a redução é a atuação sistêmica de todas as unidades da Polícia Civil, a integração e a troca de informações permanente”, ressaltou.

ROUBOS – Foram 15.496 roubos a menos no Paraná em 2020. As áreas que registraram as maiores quedas foram a 8ª AISP de Laranjeiras do Sul (-43,2%), a 13ª AISP de Toledo (-37,4%), a 21ª AISP de Cornélio Procópio (-36,6%), a 7ª AISP de Guarapuava (-35,9%), a 1ª AISP de Curitiba (-34,8%), a 17ª AISP de Maringá (-33,9%), a 19ª AISP de Rolândia (-33,2%), a 4ª AISP de Ponta Grossa (-32,3%) e a 2ª AISP de São José dos Pinhais (-32,3%).

A área de Laranjeiras do Sul, que contempla Cantagalo, Goioxim, Laranjal, Laranjeiras do Sul, Marquinho, Nova Laranjeiras, Palmital, Porto Barreiro, Rio Bonito do Iguaçu e Virmond, viu o índice cair de 111 casos (2019) para 63 (2020).

A queda mais tímida nesta modalidade foi na 22ª AISP de Telêmaco Borba (-12,8%), de 811 para 707 casos. Essa área contempla dez cidades: Cândido de Abreu, Curiúva, Figueira, Imbaú, Ortigueira, Reserva, Sapopema, Tibagi, Ventania e Telêmaco Borba.

O levantamento apontou que os meses de janeiro e fevereiro foram os que tiveram o maior número de ocorrências de roubos em 2020, com 3.803 e 3.909, respectivamente. Ainda assim, o número foi inferior aos mesmos meses de 2019, com 4.022 em janeiro e 4.091 em fevereiro. Agosto (2.262) e dezembro (2.203) apresentaram os melhores resultados.

FURTOS – O balanço mostra que a 14ª AISP (Campo Mourão), que contempla 27 cidades, foi a que teve a maior queda nesta modalidade criminal (-25,8%). Houve diminuição em 21 regiões e um pequeno aumento na 2ª AISP (São José dos Pinhais), na casa de 3%. Em todo o Estado foram 15.786 ocorrências a menos do que em 2019.

Sete áreas ficaram abaixo da variação média do Paraná: a 16ª AISP de Paranavaí (-8,8%), a 4ª AISP de Ponta Grossa (-8,5%), a 17ª AISP de Maringá (-8,3%), a 20ª AISP de Londrina (-5,2%), a 1ª AISP de Curitiba (-5,2%) e a 21ª AISP de Cornélio Procópio (-2,07%).

Também neste caso janeiro e fevereiro registraram a maior quantidade de ocorrências de furtos, com 14.347 e 13.746, respetivamente. A partir do mês de março de 2020, os números passaram a cair. Junho (10.359) e agosto (9.933) foram os meses que tiveram o menor número de ocorrências.

Fonte e foto: Agência Estadual de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *