Falta de chuva já reduziu produção de soja

No início da tarde de ontem, auxiliado pelos vizinhos Guilherme Possamai e Alexandre Migliorini, Jair Witt (irmão do ex-vereador Artur de Paula Witt) colhia milho para silagem, em sua propriedade na Linha São Paulo, Francisco Beltrão. Enquanto Jair e Alexandre enchiam um carroção de silagem, contornando a lavoura, o Guilherme levava outro.

Havia nuvens escuras para os lados de Itapejara e ameaçava chuva, mas eles iniciaram cedo o trabalho da tarde porque a empreitada é grande – são dez alqueires de milho-silagem – e não pela ameaça de chuva; preferiam interromper o trabalho para fugir da chuva. Mas ela não vem. Ou vem muito pouco. “Chove sempre ali pros lados de Marmeleiro e Pato Branco, mas aqui só pancada esparsa.” E ele espera chuva pra plantar milho-silagem outra vez.

Além do gado de leite (cerca de 60 cabeças, entre vacas e novilhas), Jair Witt tem lavoura de soja, que já está granada. “Tá secando antes do tempo, mesmo que chova agora, uns 20% já foi perdido”, seu Jair comenta. Ele sabe que vai colher soja, porque é uma planta resistente à seca, mas poderia colher mais.

Natural da Seção Jacaré que fica ao lado da Linha São Paulo, seu Jair viveu a grande seca de 1978, a maior já registrada no Sudoeste do Paraná no século 20. “Ficou seis meses sem chover, e ainda colhemos soja aquela vez”, ele recorda.

Milho também teve quebra
Plantado em 16 de agosto, o milho que seu Jair está colhendo tem bonitas espigas, dá boa silagem, mas poderia ter produzido mais se não tivesse faltado chuva desde a germinação. “Ficou meio ralo, com a seca não nasceu direito.” Milho plantado mais tarde foi ainda mais prejudicado. Aquele que floresceu nas últimas duas semanas terá queda acentuada na produção.

Seu Jair diz que a estiagem prejudica mais quem depende somente de lavouras. Para quem tem aviário ou gado de leite, a renda é mais regular. Desde que, para o gado de leite, a ração não seja toda comprada. No seu caso, é gado de leite semiconfinado. E a maior parte do trato é o milho-silagem que ele está colhendo.

Fonte e foto: Jornal de Beltrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *