Transexual acusada de homicídio é absolvida em Pato Branco

No ano passado, uma transexual de Pato Branco, identificada como Roberta, foi denunciada pelo Ministério Público por homicídio, em que foi vítima Valdecir Missel, conhecido popularmente como “Tatu”. A acusada foi detida poucas horas após o cometimento do crime. A prisão ocorreu em santa Catarina e foi feita pela Polícia Rodoviária Federal. Após mais de um ano do crime, foram ouvidas testemunhas de acusação e de defesa, e a acusada foi absolvida sumariamente no último dia 09 de agosto. Com isso, não precisará passar pelo julgamento no Tribunal do Júri como normalmente ocorre.

O juízo da Comarca de Pato Branco acolheu a tese de que houve legítima defesa por parte da acusada, sendo que o próprio Ministério público mudou de opinião após o decorrer do processo, entendendo a mesma tese defensiva.

A defesa conseguiu comprovar no decorrer do processo que a vítima foi até a casa da acusada com facão em mãos para tentar matá-la, e que ao efetuar os disparos, a transexual não utilizou todas as munições disponíveis e que não possuiu intenção de matar, apenas de se defender. Também foi comprovado que a motivação que teria levado a vítima procurar a acusada, foi por ter “tomado as dores” de outra transexual com quem Valdecir estava se relacionando. A acusada teria se desentendido com essa transexual após ela chegar na cidade, pois alguns roubos feitos começaram ocorrer e a acusada desconfiava que fosse ela a autora.

A sentença de absolvição foi publicada dia 09 de agosto e o prazo de recurso para a acusação já se encerrou. Atuaram no caso como advogados de defesa, Camila Valduga e o Nathan Casagrande, ambos da cidade de Pato Branco.

Fonte: Evandro Artuzi/Portal RBJ/Extra FM – Foto: Altair Melo/Rádio Itapuã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *