Programa Caixa d’Água Boa vai beneficiar famílias no Sudoeste

O Governo do Paraná dará continuidade ao programa Caixa d’Água Boa em 2022. A extensão do convênio entre Sanepar e Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) para 2022 foi assinada nesta segunda-feira (28), no Palácio Iguaçu, pelo vice-governador Darci Piana. Serão beneficiadas 1.500 famílias de 51 municípios. O investimento é de R$ $ 3,93 milhões.

O projeto conta com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e foi vencedor, no ano passado, do prêmio ODS da Rede Brasil do Pacto Global na área do setor público.

“É um programa extraordinário, de um alcance social incrível. Apoio social que é uma das grandes marcas do governo Ratinho Junior. Essa ação se soma a tantas outras, como as tarifas sociais de água e energia elétrica e o cartão Comida Boa, que ajuda a qualificar a alimentação dos paranaenses mais vulneráveis”, ressaltou Darci Piana.

Lançado em 2019, o programa é uma parceria entre Sanepar e a Sejuf para doação e instalação de caixas d’água em casas de paranaenses em situação de vulnerabilidade social e já atendeu 4 mil famílias em 143 municípios.

Para isso, foram feitas parcerias também com prefeituras, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e empresas privadas. “Às vezes não temos noção de como esse programa ajuda a vida de uma família. É mais qualidade, água potável em casa, armazenada sem a necessidade de sair por aí com balde na mão. Isso se reflete em mais higiene, mais saúde, mais qualidade de vida”, comentou o vice-governador.

PARCERIA – De acordo com a proposta, a Sanepar disponibiliza uma caixa d’água de 500 litros e um kit de instalação. Já a Sejuf oferece subsídio financeiro de R$ 1 mil para viabilizar a instalação e também o treinamento de como fazê-la.

“Queremos levar este projeto para o maior número possível de municípios. Ter água em casa é fundamental para a saúde, a higiene e a alimentação”, afirmou o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, destacando que o Caixa d’Água Boa é uma das estratégias do Governo do Estado para combater a pobreza.

Diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile reforçou a importância do projeto e a parceria da companhia com os municípios. “A Sanepar tem uma importante função social e um compromisso com o governo e municípios de levar saúde para todo o Estado. Esse projeto consegue melhorar a vida das famílias e é muito importante para a Sanepar fazer parte dessa melhoria”, disse.

“Vamos tornar esse projeto permanente para que possa chegar ao maior número de paranaenses possível”, completou.

Stabile destacou, ainda, que na Região Metropolitana de Curitiba, em 2020 e 2021, foram instaladas outras 10 mil caixas d’água em imóveis localizados em áreas afetadas pelo rodízio no abastecimento de água em razão da estiagem prolongada no Estado. Em 2022, reforçou, serão mais 3,5 mil em Curitiba, Região Metropolitana e Litoral. “Isso fez a diferença durante todo o período de crise hídrica que afetou a grande Curitiba por mais de dois anos”, afirmou.

“Posso afirmar com convicção que esse governo enxerga o que a população mais precisa, faz a diferença na vida das pessoas. Ações que cuidam de quem mais precisa”, ressaltou a prefeita de Tamarana, na Região Norte, Luzia Suzukawa.

“São famílias que realmente precisam, um recurso bem empregado, que reforça a sensibilidade deste governo”, acrescentou o prefeito de Boa Esperança do Iguaçu, na região Sudoeste, Givanildo Trumi, o Giva.

Entre as cidades beneficiadas, estão Boa Esperança do Iguaçu, Bom Sucesso do Sul, Coronel Vivida, Mangueirinha, Nova Esperança do Sudoeste, Salgado Filho, Santo Antônio do Sudoeste e Santa Izabel do Oeste.

PÚBLICO-ALVO – Para participar do Caixa d’Água Boa as famílias precisam atender cumulativamente aos seguintes critérios: residir em município que possua contrato de concessão ou programa vigente com a Sanepar; residir em domicílio abastecido pela Sanepar e que não possua caixa d’água; possuir renda de até meio salário mínimo nacional por pessoa; estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal e encontrar-se em situação de vulnerabilidade social, conforme o Índice de Vulnerabilidade das Famílias (IVFPR) do Programa Nossa Gente Paraná.

Fonte e foto: Agência Estadual de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *