Presos de Beltrão recebem certificados de cursos profissionalizantes

Várias pessoas privadas de liberdade, que cumprem pena na Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão, concluíram os cursos profissionalizantes ofertados em parceria com a Faculdade Fanduca e a Universal, nos presídios (UNP). A cerimônia de formatura aconteceu na sexta-feira, 20, simultaneamente em oito cidades. Mesmo com a pandemia da Covid-19, os cursos ficaram à disposição numa plataforma de alto desempenho tecnológico e, assim, foi possível a conclusão. Em Francisco Beltrão, o evento ocorreu no pátio externo, seguindo os protocolos de saúde.

O secretário da Segurança Pública do Paraná, Rômulo Marinho Soares, destaca a importância de convênios do Departamento Penitenciário com outras instituições, que proporcionem a oportunidade de cursos de qualificação profissional aos presos.

“A Secretaria vê com bons olhos, e o governo, por meio da pasta, tem incentivado cada vez mais a busca por este tipo de iniciativa. Essa parceria está nos ajudando a vencer o desafio que é levar a boa educação para dentro do nosso sistema prisional. Com isso, a gente vai trazer os de volta para a sociedade melhor preparados e com condições de arrumar emprego.”

Em todo o Estado do Paraná foram 1.100 formandos, nos cursos de qualificação profissional em Gestão de Empresas, Customização de Chinelos e Etiqueta Social.

Conforme o diretor-geral do Depen, Francisco Caricati, a educação é apenas um dos pilares para a ressocialização das pessoas privadas de liberdade, e a ideia é expandir parcerias para promover o acesso a mais presos.

“Nós trabalhamos com quatro pilares, aqui, desde o início desta gestão, um deles é a educação, o outro é o trabalho, o terceiro é a espiritualidade e o quarto é o trabalho psicológico.

Então, para isso, nós teríamos que estar dotados de condições para poder executar esse trabalho. As parcerias com empresas privadas são essenciais para o sistema prisional construir este cenário. Elas se instalam nas unidades e dão mão de obra e trabalho, o que gera uma nova perspectiva para o preso, com a capacitação ou com um novo ofício.”

Prestigiaram o evento Marcos Andrade, coordenador regional do Depen, Marcio Roberto Iansen, vice-diretor da PEFB, Claudia Borba Barros, pedagoga da PEFB, Rodrigo Tozetti, do Departamento Jurídico e supervisor de Pedagogia do complexo social; Thaluan Baunbach, pedagogo do complexo social, Valmir Alves de Freitas, pastor da Igreja Universal, e representantes da Universal nos presídios em Francisco Beltrão.

Fonte e foto: Jornal de Beltrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *