Maior enxurrada desde 2017 provoca alagamentos e assusta moradores

Foi tudo muito rápido. Quando a Delvane Carvalho saiu da cozinha pra ver o córrego que passa ao lado de casa, se impressionou com o volume de água. “Foi questão de minutos pra água subir mais de metro”, conta. Ela reside na Rua Nambu, no Bairro Padre Ulrico. Com medo de que a água pudesse subir mais, chamou os vizinhos para retirar a sogra, acamada, do quarto ao lado do riacho. A força da correnteza invadiu parte do terreno, passou sobre a rua e derrubou uma grade que servia de guarda corpo para os pedestres. Mas na mesma velocidade em que se elevou, o córrego voltou ao nível normal.

Foi assim em diversos pontos da cidade em que a chuva torrencial sobrecarregou galerias e córregos. No trevo da Cattani, a Avenida Dom Agostinho Sartori ficou com mais de meio metro de água; as marginais do Lonqueador em pontos mais baixos também, além da baixada da Romeu Lauro Werlang. A enxurrada foi passageira, mas afetou do Sul ao Norte da cidade.

As ruas alagadas contrastam com o longo período de estiagem pelo qual a região passa, com chuvas abaixo da média desde 2019. A chuvarada de ontem, no entanto, foi um evento extremo: caiu 116 mm do início da manhã até o fim da tarde, segundo a medição feita pelo IDR (Instituto de Desenvolvimento Rural) na estação meteorológica do Nova Petrópolis. Em outros pontos de Beltrão, chegou a chover até mais, relataram moradores. No Quibebe, o pluviômetro com capacidade para 130 mm transbordou, no Seminário foram 101 mm, no Rio Tuna 130 e no Alvorada 120.

Chuva do mês em dois dias

O observador meteorológico do IDR, Josmar Ramos, buscou nos dados históricos do órgão quando havia sido a última vez que choveu tanto em um único dia.

“Em 21 de outubro de 2017 registramos 124 mm em 24 horas. Foi a última grande enxurrada, inclusive com fortes ventos e granizo na noite anterior e com alagamentos devido ao grande volume”, cita.

Entre quarta e ontem, o acumulado já chega a 142,6 mm em Beltrão. É quase a média histórica prevista para todo o mês de março, que fica em 150 mm.

JdeB – Ontem, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de grande perigo para a região de Francisco Beltrão. O órgão previa chuvas de 60 mm por hora e 100 mm diário, além de ventos de 100 km/h. “Grande risco de danos em edificações, corte de energia elétrica, de queda de árvores, descargas elétricas, alagamentos, enxurradas e grandes transtornos no transporte rodoviário”, complementava a nota.

A recomendação é para desligar aparelhos de energia, guardar documentos em sacos plásticos caso haja enxurrada, procurar abrigo em situações de grande perigo confirmadas e obter informações junto à Defesa Civil ou Corpo de Bombeiros. O alerta vermelho abrange o Oeste catarinense, uma faixa ao Norte do RS e o Oeste e Sudoeste do Paraná. O aviso segue válido até as 10h de hoje.

Fonte e foto: Jornal de Beltrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *