IDR-Paraná entrega caprinos com genética superior a pequenos produtores do Sudoeste

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-Paraná) fez a entrega de 60 reprodutores caprinos com genética superior, das raças Boer e Anglonubiana, a produtores da região de Pato Branco, no Sudoeste do Estado. A ação é do Programa de Estruturação das Cadeias Produtivas de Ovinos e Caprinos do Governo do Estado. O programa busca a melhoria genética do rebanho.

O repasse foi feito pelo Polo de Pesquisa e Inovação do IDR-Paraná de Pato Branco. A entrega aconteceu de forma gradativa, em função das restrições impostas pela pandemia de Covid-19.

O Programa de Estruturação das Cadeias Produtivas de Ovinos e Caprinos, criado em 2006, implementa pesquisas na região Sudoeste do Paraná e atende todo o Estado. Desde que foi criado, entregou 2 mil animais para produtores e associações.

Segundo o pesquisador do IDR-Paraná André da Silveira, o repasse de machos durante esses 15 anos contribuiu de forma significativa para a mudança da base genética do rebanho. O objetivo é oferecer aos produtores animais com genética especializada e, com o programa, os animais comuns foram substituídos por caprinos especializados em produção de carne.

Os reprodutores distribuídos são destinados a pequenos produtores com os devidos registros legais e que já possuem cabras, pois a iniciativa entrega caprinos machos. A contrapartida dos beneficiados é um valor simbólico de R$ 100 por animal.

A iniciativa propiciou uma melhora na produtividade do rebanho. Mas o pesquisador ressalta que a caprinocultura ainda enfrenta algumas dificuldades, como a falta de uma articulação para um maior desenvolvimento do mercado local.

Além do repasse dos reprodutores, os pesquisadores de Pato Branco também desenvolveram estudos sobre a nutrição, sanidade e genética dos caprinos para que a caprinocultura se firmasse como uma atividade lucrativa. Os resultados das pesquisas estão disponíveis para os interessados em publicações, dissertações e teses.

Fonte e foto: Agência Estadual de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *