Hemonúcleo de Francisco Beltrão registra aumento de 30% nas doações de sangue

Junho e julho são considerados os meses de conscientização e incentivo à doação de sangue. É exatamente nesse período, com a chegada do inverno, que o número de doações sofre uma significativa queda em virtude das temperaturas mais baixas e o aumento das infecções respiratórias e outras enfermidades.

A pandemia do coronavírus é outro fator que afetou consideravelmente os estoques de sangue em quase todo o país, e em Francisco Beltrão não foi diferente. Cristiane de Oliveira, coordenadora de captação de doadores de sangue do Hemonúcleo, cita que esses fatores contribuíram pra uma queda expressiva, mas que nos últimos dois meses isso tem melhorado.

“A gente tem uma demanda bem grande, são 17 hospitais que a gente atende aqui na microrregião na Oitava Regional de Saúde, e agora graças a Deus a gente tá tendo uma procura um pouquinho melhor”.

Segundo ela, o aumento nos últimos dois meses é 30%, comparando o mesmo período do ano passado. Cristiane explica ainda, que para ser doador, é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos completos (menores de idade com autorização e presença do responsável legal), estar descansado, alimentado e hidratado e apresentar documento oficial com foto.

Desde o início da pandemia, o atendimento no Hemonúcleo tem sido por agendamento para garantir a segurança ao doador. “Então a gente pede encarecidamente pra quem vem para o banco de sangue que venha sim agendado”, enfatiza.

Fonte e foto: Angela Maria/Portal RBJ/Onda Sul FM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *