Grupamento de Operações Aéreas da Polícia Civil completa cinco anos

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) comemora neste domingo (4) cinco anos de criação do seu Grupamento de Operações Aéreas (GOA). Atualmente são cinco aeronaves, sendo quatro helicópteros e um avião.

A unidade atua em operações programadas para cumprimento de mandados judiciais. Em cinco anos, 485 contaram com apoio das aeronaves da PCPR. O grupamento aéreo também realizou 213 voos de repressão qualificada, que têm o objetivo de mapear locais onde há maiores índices de criminalidade.

Desde o início da pandemia do coronavírus, o GOA também presta apoio à Casa Militar para realizar o transporte de testes e vacinas contra a Covid-19. Ainda auxilia no transporte de órgãos para transplantes, numa rede de atendimento que hoje é referência internacional.

O delegado Renato Coelho, chefe do grupamento, conta que as aeronaves estão sempre à disposição das forças de segurança e das equipes de Saúde. “Além das operações programadas, a unidade também faz plantões para possíveis atendimentos de ocorrências e estamos à disposição do nascer ao pôr do sol”, disse.

A unidade presta apoio à Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar, Forças Armadas e Guardas Municipais.

NIGHT SUN – Para diminuir o índice de homicídios envolvendo o tráfico de drogas no Estado, a PCPR também criou, a partir do GOA, o Plano de Atuação Sistemática e Integrada (Pasi). O grupamento conta com a ferramenta “night sun”, que garante iluminação de uma área superior a um campo de futebol para ajudar os policiais de campo.

O apoio aéreo tem auxiliado diversas apreensões. No dia 21 de novembro de 2020, por exemplo, o grupamento e a PF interceptaram um helicóptero com 430 quilos de cocaína. Três pessoas envolvidas com o transporte da droga foram presas, no Noroeste do Estado.

Dois dias depois, o grupamento apoiou a maior operação anual da PF e da Receita Federal no combate à lavagem de dinheiro do tráfico de drogas.

Segundo o delegado, as demandas com o emprego da aeronave possibilitaram nesses últimos cinco anos a retirada de circulação de toneladas de cocaína, maconha e outros entorpecentes.

“O grupamento de operações aéreas da PCPR vem se modernizando a cada dia, proporcionando maior segurança para a população paranaense, para os policiais civis e demais policiais que necessitem do emprego das aeronaves”, completou Coelho.

PCPR atinge 100% de resolução de homicídios em Curitiba no 1º trimestre
BASES AÉREAS – Desde a criação do grupamento, a base principal da unidade permanece no Aeroporto do Bacacheri, em Curitiba. Além da estrutura na Capital paranaense, onde fica a maior parte de equipes e frotas, a unidade inaugurou uma nova base no dia 10 de setembro de 2020, em São Miguel do Iguaçu, no Oeste do Estado.

A nova estrutura tem o objetivo de intensificar o combate ao contrabando e o tráfico de drogas nas fronteiras com o Paraguai e a Argentina. Um helicóptero da PCPR permanece na base para atuar em operações da instituição e em apoio às demais forças de segurança. Com a presença na fronteira, a aeronave dificulta a ação de traficantes, denunciando acessos clandestinos em áreas fluviais e depósitos.

Fonte e foto: Agência Estadual de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *