Estado apresenta projeto Lixo 5.0 para órgão consultivo dos 399 municípios

As ações do Projeto Lixo 5.0, lançado pela Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), foram apresentadas nesta semana durante o Fórum Nacional de Secretários e Gestores de Limpeza Urbana e Manejo de Resíduos Sólidos. O encontro reuniu, em Curitiba, integrantes do Grupo R-20. A Sedest contribuiu com palestras dentro da sua programação da Semana do Meio Ambiente.

O diretor de Políticas Ambientais da pasta, Rafael Andreguetto, apresentou aos participantes o que é o projeto e a Resolução Conjunta Sedest/IAT nº 09/2022. A regulamentação estabelece critérios e procedimentos para estudos e reconhecimento de novas tecnologias na gestão de resíduos sólidos no Estado do Paraná. O Lixo 5.0 integra estratégias da Lei Estadual n° 20.607/21, que dispõe sobre o Plano Estadual de Resíduos Sólidos do Estado do Paraná (PERS).

“É um projeto que foi lançado para criar incentivos e fomentar projetos, pesquisas e inovações tecnológicas sustentáveis na gestão de resíduos sólidos no Estado do Paraná. Um dos objetivos é o aproveitamento energético de resíduos sólidos por rotas biológicas ou térmicas”, destacou o diretor.

O Grupo R-20 é um órgão consultivo formado por representantes dos 399 municípios paranaenses para a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos e leis estaduais de resíduos sólidos.

LIXO 5.0 – Entre os objetivos do Lixo 5.0 está o de difundir novas tecnologias na gestão de resíduos sólidos, voltadas preferencialmente aos municípios de pequeno e médio porte, visando a extinção de lixões e aterros controlados. Um exemplo já implantado no Estado do Paraná é a implantação de uma usina térmica em Roncador, no Centro-Oeste do Estado.

No município, a empresa Ecodust investiu cerca de R$ 4 milhões para implantar uma tecnologia que processa até 20 toneladas por dia de resíduos sólidos urbanos com a incineração por termomagnetização. O processo está alinhado com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e atende o consumo de Roncador, Iretama, Mato Rico e Nova Cantu.

O Governo do Paraná forneceu apoio na instalação da tecnologia, que conta também com a participação do Instituto Paranaense de Reciclagem (INPAR), Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e IAT na pesquisa e análise de emissão atmosférica, de chorume e qualidade das cinzas, para que não prejudique o meio ambiente.

Também são linhas de ação do Lixo 5.0 a promoção da cooperação e interação entre os entes públicos, setores público e privado, e com o terceiro setor; estimular a atividade de inovação nas Instituições Científicas e de Inovação Tecnológica (ICTs) e nas empresas; apoiar e incentivar os criadores e inventores independentes às atividades das ICTs e ao sistema produtivo; além de buscar melhores soluções tecnológicas para o desenvolvimento sustentável na gestão de resíduos sólidos de acordo com as características de cada região.

Fonte: AEN   Foto: SEDEST-PARANÁ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *