UFFS monta laboratório para testagem de Covid-19

segunda-feira, 22 junho 2020 | 14:28 PM

Com objetivo de contribuir no diagnóstico da Covid-19, a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Realeza montou um laboratório de análises para ajudar na detecção do número de casos da doença na região Sudoeste do Paraná. A estrutura temporária foi criada em parceria com a Prefeitura de Realeza e o Rotary Clube, além do apoio da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Os trabalhos de análise serão iniciados nesta semana.

Instalado no Hospital Veterinário Universitário da UFFS, o novo laboratório terá capacidade para processar, inicialmente, 60 exames do tipo RT-PCR por dia. O teste é considerado padrão ouro, pois verifica a presença de material genético do vírus, confirmando, assim, se a pessoa está com a Covid-19, além de ser um exame definitivo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. A iniciativa de instalação do laboratório surgiu dentro da comissão local de combate à pandemia existente no Campus Realeza, sendo elaborado um projeto de extensão para a consolidação.

A coleta para análise não será realizada no Laboratório Coronavírus da UFFS, sendo uma responsabilidade dos órgãos de saúde da região. “A coleta do material será feita pelas Secretarias Municipais de Saúde, assim como o transporte até o laboratório. A UFFS fará a recepção das amostras e o processamento no mesmo dia. Ao final do trabalho, o resultado é encaminhado para a Secretaria Municipal de Saúde de Realeza para que o Laboratório Municipal faça a emissão de laudo”, explicou o coordenador técnico do Laboratório Coronavírus da UFFS, Felipe Beijamini.

 

Inicialmente, serão analisadas apenas amostras encaminhadas pela Secretaria Municipal de Saúde de Realeza, no entanto, a UFFS ainda está construindo um acordo com a Associação Regional de Saúde do Sudoeste do Paraná para que outros municípios da região também acessem a estrutura, já que o laboratório foi planejado para executar até 100 amostras por dia, atingindo uma capacidade máxima de processamento de até 500 amostras por semana.

“A ampliação na capacidade de testagem é ainda mais importante no contexto da região em que está localizado o município de Realeza, pois todos os exames realizados pela rede pública de saúde necessitam ser remetidos ao Laboratório Central do Estado (Lacen), em Curitiba, para análise e diagnóstico. Esperamos que, em breve, os trâmites para a celebração desta parceria possam ser concluídos, para expandirmos o serviço aos demais municípios da região”, explicou o diretor do Campus Realeza, Marcos Antônio Beal.

 

Para o reitor da UFFS, Marcelo Recktenvald, o laboratório temporário é mais um projeto desenvolvido pela Instituição que tem como objetivo contribuir para prevenção, monitoramento e segurança frente à pandemia de Covid-19. “É animador que a Universidade consiga avançar no seu papel social em algumas áreas tão estratégicas como é a saúde pública, ofertando mais apoio à população, dialogando com a comunidade e reforçando seu valor de excelência. Se, por um lado, a pandemia veio trazer dificuldades enormes com a paralisação da maioria das aulas, por outro, muitas atividades de pesquisa continuam, e muitos projetos de extensão têm o seu valor enaltecido. Além disso, a UFFS fez novos movimentos de aproximação com a comunidade regional, especialmente com segmentos de reconhecido serviço prestado à sociedade, como é o caso desta ação”, enfatizou.

As análises serão executadas por dez docentes do Campus Realeza dos cursos de Graduação em Ciências Biológicas, Nutrição e Medicina Veterinária e do Programa de Pós-Graduação em Saúde, Bem-Estar e Produção Animal, três técnicos de laboratório do Campus Realeza e seis colaboradores externos. “Este é um laboratório temporário e executará somente testes para Covid-19 durante o período que se fizer necessário. Após a desativação, os equipamentos voltarão para seus setores de origem e aqueles adquiridos serão disponibilizados para atividades de aulas, extensão e pesquisas nos Laboratórios Didáticos do Campus Realeza e do Hospital Veterinário Universitário”, salientou um dos coordenadores do projeto, Gentil Ferreira Gonçalves.

 

Além de profissionais capacitados e do espaço físico para o laboratório, a UFFS também contribuiu com duas cabines de biossegurança de nível dois, duas centrífugas refrigeradas, micropipetas, duas centrífugas mini-spin, computadores, Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs) e demais insumos, materiais fornecidos pela Coordenação Adjunta de Laboratórios do Campus Realeza e pelo Hospital Veterinário Universitário. A instalação foi vistoriada pela Vigilância Sanitária do Município e está apta ao funcionamento. Por outro lado, a UFFS está buscando o credenciamento junto ao Lacen para integrar o Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública (SISLAB).

Os Acordos de Cooperação Técnica celebrados e demais insumos adquiridos pela UFFS foram articulados pela Comissão Local de Monitoramento das Implicações do COVID-19 no Campus Realeza, com apoio e anuência da Equipe Diretiva do Campus Realeza e da Reitoria da UFFS.

 

Parceria com Prefeitura de Realeza

Por meio de um Acordo de Cooperação Técnica, a Prefeitura de Realeza irá disponibilizar um responsável técnico para acompanhamento das ações, materiais que incluem EPIs, kits para diagnósticos de pacientes do município e material de coleta, assim como prestar auxílio no controle e registro das análises. O investimento do município na compra de insumos chega a aproximadamente R$ 200 mil. O acordo é válido por seis meses, podendo ser prorrogado se necessário.

De acordo com o prefeito Milton Andreolli (PSDB), o principal objetivo na parceria é promover agilidade em diagnosticar casos de Covid-19 na cidade. “Quando fazemos a coleta para o exame na nossa Unidade Sentinela, precisamos encaminhar a amostra para o Lacen, em Curitiba, e o resultado sai em cerca de oito dias. Nessa parceria com a UFFS e o Rotary vamos diminuir muito esse tempo, teremos mais rapidez no processo de testagem e na busca de resultados. O município de Realeza foi pioneiro em consolidar essa parceria e esperamos que, no futuro, outros municípios da região possam ter a mesma condição”, explicou.

Parceria com o Rotary Clube de Realeza

Outro parceiro importante no Projeto do Laboratório Coronavírus da UFFS foi o Rotary Clube de Realeza que forneceu uma das termocicladoras para PCR em tempo real, avaliada no valor de R$ 50 mil. O equipamento será doado à UFFS.

Para o presidente do Rotary Clube de Realeza, Luiz Antônio Gomes de Moraes, a entidade sempre busca participar de iniciativas humanitárias. “Esperamos que esta ajuda beneficie toda a sociedade, nosso município e região. Nosso lema é servir, somos um clube de serviço, e nesse momento de pandemia não seria diferente. Agrademos a contribuição de todos que tornaram isso possível”, destacou.

Cedência de equipamento pela UFPR

A segunda termocicladora para PCR em tempo real foi cedida pela UFPR, via comodato. O equipamento avaliado em cerca de R$ 80 mil foi emprestado pelo Departamento de Fisiologia da UFPR, de Curitiba, que também se dispôs a apoiar a ação da UFFS.

Fonte e todo: Assessoria

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *