Governo recebe carros elétricos para utilização na frota pública

quinta-feira, 03 setembro 2020 | 08:40 AM

O Governo do Estado recebeu nesta quarta-feira (2) dez carros elétricos modelo Zoe, da Renault, como parte do projeto VEM PR. A parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) visa estimular a adoção de políticas sustentáveis e a difusão de modelos inovadores de gestão governamental. O Paraná será a segunda unidade da Federação a participar desse projeto pioneiro de mobilidade urbana na administração pública.

Os novos Zoe serão incorporados à frota do Estado em regime de comodato e serão utilizados prioritariamente para as demandas da Secretaria de Estado da Saúde durante a pandemia.

A iniciativa prevê a instalação de dez eletropostos de carregamento em Curitiba e Região Metropolitana. Cinco eletropostos já têm locais definidos (duas unidades na Secretaria da Saúde, uma no Hospital do Trabalhador, uma no Laboratório Central do Estado e uma no Jardim Botânico) e os demais serão indicados pelo Governo do Estado nos próximos dias.

O objetivo principal é o compartilhamento (carsharing). Os veículos do VEM PR estão equipados com o aplicativo MoVe, desenvolvido pelo PTI, que permite reservar os veículos disponíveis, acompanhar sua localização, monitorar a velocidade, a carga de bateria, as rotas percorridas, além de outras informações. Os carros serão desbloqueados com cartões cadastrados no sistema e têm autonomia de até 300 quilômetros e velocidade limite de 135 km/h.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior disse que o Estado tem cerca de 22 mil veículos (18 mil carros) na frota e que está buscando alternativas para diminuir esse contingente dentro dos conceitos de inovação e sustentabilidade. Também foi identificada a necessidade de gerar economia aos cofres públicos, uma vez que a frota tradicional custa aproximadamente R$ 6,60 por quilômetro rodado.

“A ideia é otimizar a máquina pública cada vez mais, fazer mais com menos. No mundo todo o compartilhamento já é realidade”, afirmou Ratinho Junior. “Lançamos neste ano o TáxiGov, que já modernizou esse sistema no setor público, mas queremos avançar cada vez mais. A sinergia com a ABDI e o PTI é fundamental nessa estratégia”.

O governador também disse que o Estado é um polo de inovação e sustentabilidade. Ele citou a iniciativa de zerar a alíquota do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) dos veículos elétricos, a consolidação da maior eletrovia do País (BR-277) e as diversas ações com apoio estatal para incentivar novas startups, tecnologias aplicadas à máquina pública e ecossistemas regionais de inovação.

“O Paraná é o maior produtor de energia sustentável do Brasil, tem a Capital mais sustentável e produz o agronegócio mais sustentável, ninguém cuida tanto das nascentes, microbacias, bacias e matas ciliares. E na máquina pública temos que ter sustentabilidade e inovação como algo habitual”, acrescentou.

O VEM PR é parte de um memorando de entendimento assinado em fevereiro deste ano pelo governador e pelo presidente da ABDI, Igor Calvet, para a implementação de soluções reais para formatação de cidades cada vez mais inteligentes. O documento prevê aproveitamento de soluções tecnológicas oferecidas pela ABDI nos municípios paranaenses com o objetivo de aumentar a integração e a produtividade das empresas e do setor público. O prazo de vigência da parceria é de 40 meses.

“O Paraná é inovador, está na vanguarda da inovação e da gestão pública. Esse projeto simboliza isso. Não temos nem 1% da frota nacional de veículos elétricos, mas o Paraná já tem uma eletrovia de 700 quilômetros. É um Estado que produz ideias e constrói a infraestrutura necessária para o salto tecnológico”, disse Calvet.

Segundo ele, o VEM PR reúne duas das três principais tendências do mercado automobilístico e de sustentabilidade: novas formas propulsão (carros hídricos e elétricos) e compartilhamento. A última é o veículo autônomo, mas essa tecnologia ainda não está disponível. “O objetivo desse projeto é melhorar a qualidade de vida das pessoas, criar modelos e referenciais para estados e municípios. Isso aumenta a produtividade do serviço público”, destacou o presidente da ABDI.

Fonte: Agência Estadual de Notícias

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *