Governador reforça orientação sobre controle das contas públicas

quinta-feira, 18 junho 2020 | 08:43 AM

O governador Carlos Massa Ratinho Junior se reuniu virtualmente com os secretários estaduais nesta quarta-feira (17) e reforçou a orientação de manter a política de rigidez sobre os gastos públicos e as formas mais transparentes de contratação de obras, serviços e materiais.

O governador e o controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, enfatizaram a importância da manutenção da política de licitação nas áreas não essenciais e a dispensa apenas para serviços emergenciais relacionados diretamente com a pandemia do coronavírus.

Ratinho Junior destacou que o Estado adotou desde o começo da pandemia cartilhas orientativas para contratações emergenciais e aquisição de bens e insumos, além de documentos para ajudar as prefeituras com as suas despesas, com ou sem o status de calamidade pública. Essas medidas ajudaram o Paraná a conquistar índices de destaque nacional na Open Knowledge e na Transparência Internacional, organizações que fiscalizam acesso a dados públicos.

ENFRENTAMENTO – As contratações emergenciais, destacou o governador, devem ser destinadas apenas para áreas fins da política de enfrentamento da pandemia, como saúde, educação e segurança pública. “São os setores que realmente precisam de mais agilidade, dentro de padrões rígidos de controle. As demais áreas têm que manter as licitações normais. Transparência é uma regra e dá exemplo, é assim que temos conquistado a confiança da população nessa batalha”, afirmou Ratinho Junior.

O governador lembrou que a arrecadação estadual caiu 8,8% até maio deste ano, na casa de R$ 1,1 bilhão, o que reforça a necessidade de controle sobre os gastos públicos e investimentos nas áreas essenciais. “Estamos em momento de crise. Temos preocupação com custeio, diminuir a máquina pública, gastar pouco para ter fôlego para enfrentar todos os desafios até dezembro”, acrescentou Ratinho Junior. “E dentro dessa estratégia temos que reforçar o trabalho remoto com todas as equipes que podem, inclusive das terceirizadas. Não podemos descuidar porque temos dado esse exemplo desde o começo nessa crise”.

Fonte e foto: Agência Estadual de Notícias

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *