Corpo de jovem que estava desaparecido no rio Capanema é encontrado em Ampére

terça-feira, 19 novembro 2019 | 19:55 PM

Fale com a Rádio Ampére AM |

Um momento de lazer que se transformou em tragédia. Depois de 48 horas de buscas foi encontrado na tarde desta terça-feira, 19, o corpo de Carlos Almir Reichel, 20, que estava desaparecido desde o último domingo no rio Capanema, em Ampére, sudoeste do Estado. A vítima foi encontrada submersa na água por um voluntário. O local onde o corpo foi localizado fica há cerca de 100 metros do ponto de onde ele se afogou.

As buscas começaram ser feitas pelo Corpo de Bombeiros de Francisco Beltrão horas depois do incidente. Na segunda-feira o trabalho foi intensificado e foram percorridos pelo menos 5 km do rio. Várias pessoas também ajudaram, mas nada foi encontrado. Já nesta terça-feira mais uma vez os bombeiros foram para o rio e percorreram quase 12 km. Existia a suspeita que o corpo teria sido levado para longe em virtude da forte correnteza do rio.

Um grupo de voluntários ficou percorrendo um trecho do rio perto de onde Carlos se afogou. Por volta das 15h20, após um mergulho em uma área de remanso com pedras e vegetação, o missionário da igreja Assembleia de Deus, Marcos Chimanski encontrou o corpo. A reportagem das Rádios Ampére AM e Interativa FM presenciou o fato. Ao sair da água Marcos gritou que teria achado e os demais voluntários se aproximaram para fazer a retirada da vítima.

“Eu vim acompanhado do pastor Oziel e não tinha a intenção de entrar na água. Mas me senti chamado para ajudar a família que estava sofrendo e consegui encontrar o corpo. Foram vários mergulhos que eu e o amigo Negão demos. Em um deles eu consegui visualizar o corpo e puxar para cima. Coube a mim essa missão e agora termina essa angustia de todos que estavam sofrendo,” conta Marcos.

Ele disse que usou de sua experiência de ser criado perto de um rio para fazer as buscas. “Eu marquei o leito da água onde a correnteza estava mais forte e fui seguindo. O corpo estava há pelo menos dois metros de profundidade preso em alguma coisa. Não consegui ver direito o que era. Só pensei de puxar ele pelos braços e gritar que tinha encontrado.”

ACOMPANHE A ENTREVISTA

O IML de Francisco Beltrão foi acionado pela Polícia Civil de Ampére e o corpo foi encaminhado para necropsia. O velório ocorrerá em Capanema, cidade onde Carlos residia com a família, e depois será sepultado em Planalto.

 

Compartilhar

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *