A União Europeia publicou nesta segunda-feira (14) a decisão divulgada em abril de proibir importações de produtos de carne, especialmente aves, de 20 fábricas brasileiras que eram autorizadas a exportar ao bloco europeu. Dentre as 20 fábricas, 12 são unidades da BRF.
A decisão é um desdobramento da operação Carne Fraca e entra em vigor no segundo dia após a publicação no diário oficial desta segunda-feira, de acordo com o documento.
O Brasil é o maior exportador de frango do mundo e a União Europeia é seu principal comprador. O bloco é responsável por 7,5% do frango vendido pelo país ao exterior, em toneladas, e 11% em receita,segundo dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), divulgados ao G1 em abril deste ano.
Nesta segunda, as ações da empresa subiram 3,2%, enquanto o Ibovespa teve variação positiva de 0,01%.
"(...) Investigações em andamento e ações recentes da Justiça no Brasil indicam que não há garantias suficientes de que os estabelecimentos das empresas BRF e SHB, autorizados a exportar carne e produtos cárneos para a União, cumprem com os requisitos relevantes da União", diz o texto da UE, referindo-se à última fase da Carne Fraca, em março, que teve a BRF como alvo.
"Por conseguinte, os seus produtos podem constituir um risco para a saúde pública e é adequado removê-los da lista de estabelecimentos a partir dos quais são autorizadas as importações na União de carne e produtos à base de carne", afirma a UE.
 
A BRF tem atualmente 35 unidades produtivas no país, mas nem todas exportam para a União Europeia. As fábricas da BRF citadas na lista da UE estão em:

  • Toledo (PR)
  • Ponta Grossa (PR)
  • Francisco Beltrão (PR)
  • Concórdia (SC)
  • Chapecó (SC)
  • Capinzal (SC)
  • Nova Mutum (MT)
  • Várzea Grande (MT)
  • Dourados (MS)
  • Rio Verde (GO)
  • Serafina Corrêa (RS)
  • Marau (RS)
Nesta segunda (14), a BRF informou que deu férias coletivas para 2,3 mil funcionários da unidade de Rio Verde, na região sudoeste de Goiás. A dispensa afeta os funcionários da linha de abate de aves. Além de Rio Verde, a empresa colocou funcionários de outros três frigoríficos em férias coletivas: Capinzal (SC), Carambeí (PR) e Toledo (PR).