O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen-PR) vai assumir mais duas cadeias públicas na região Sudoeste do Paraná. Além de Francisco Beltrão, a gestão das carceragens de Palmas e Pato Branco serão feitas pelo Depen. Em todo o Estado, 39 cadeias serão assumidas pelo órgão estadual. No Sudoeste serão 3.
Palmas, por exemplo, já está em processo de mudança. Um agente penitenciário de carreira e mais cinco agentes de cadeia pública (PSS) estão cuidando dos presos. Ficou apenas um policial civil no plantão para fazer procedimento administrativo de entrada dos detentos. O próximo município será Pato Branco. A delegacia irá mudar para o antigo prédio do fórum e a cadeia ficará aos cuidados dos Depen. 
A carceragem de Pato Branco é um dos problemas mais sérios da região. Está superlotada esta semana com 264 presos, dos quais 34 são mulheres. É um recorde. Em Francisco Beltrão, segundo o chefe de carceragem Josué Andreata, a cadeia está com 114 presos (em um local onde caberiam 48), sendo 17 mulheres. Entre eles, pelo menos 29 são condenados e deveriam estar cumprindo pena em presídios. 
O Paraná tem atualmente 20.852 presos (573 são mulheres), mas a capacidade do sistema penal é de 18.645 vagas. Ou seja, existem 2.207 presos acima da capacidade.

Presos no Sudoeste
Na região, estão presos nas carceragens das delegacias 525 presos. Autoridades estão negociando com o Governo do Estado a instalação de um centro de triagem para desafogar as cadeias. Além disso, há a Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão (PEFB) com 1.179 presos. Dentre eles, 831 estão presos há mais de dois anos. Outro detalhe é que 1.019 (86,4%) tem idades entre 18 e 45 anos de idade.