Nesta semana o município de Francisco Beltrão obteve mais uma importante conquista na área de medicina. O Ministério da Educação aprovou o Programa de Residência Médica para o município, com vagas para cirurgia geral e medicina de família e comunidade.

Para o prefeito Cleber Fontana (PSDB), é mais uma conquista que consolida o município como o grande polo regional. “O curso de Medicina nos credenciou a fazer este pleito que será benéfico para os profissionais de Medicina e também para toda a comunidade”, avalia Cleber.

Terça-feira, 18, o Ministério da Educação oficializou os programas de Residência Médica para todo o País e os programas de Francisco Beltrão foram aprovados oficialmente. Todo o processo foi realizado através de parceria da administração municipal, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, e Unioeste, campus local.

O Programa de Medicina de Família e Comunidade foi encampado pela Prefeitura e o Programa de Cirurgia Geral pela Unioeste. Serão preenchidas duas vagas para cada programa. Nos próximos dias será divulgado o edital de provas para a seleção e a parte prática inicia em fevereiro de 2019.

O Programa de Residência em Medicina da Família e Comunidade, ao ser cadastrado no Ministério da Educação, precisava atender todos os requisitos mínimos exigidos, além de comprovar estrutura física, recursos humanos na rede de atenção à saúde estruturada e compatíveis com a Comissão Nacional de Residência Médica.

Esse programa irá trazer benefícios ao atendimento dos profissionais médicos, pois passarão por atividades teóricas e práticas, qualificando o serviço prestado à população, que será a maior beneficiada.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Aline Biezus, considerando a necessidade de ampliar, qualificar e fortalecer a Atenção Primária a Saúde e principalmente a carência de profissionais com perfil para a Medicina da Família e Comunidade, que é um dos principais programas do SUS, a Estratégia Saúde da Família torna-se imprescindível o município incentivar e apoiar tecnicamente e financeiramente a formação profissional nesta área.

 

“Presente para o Município”
“O Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade vem como um presente para o nosso município, pois poderemos formar mais profissionais voltados para a saúde da família, para a prevenção, reabilitação e promoção da saúde, de forma a substituir o modelo meramente curativista por um modelo que seja voltado para as reais necessidades da população”, enfatiza a secretária.

Conforme o professor Roberto Yamada, coordenador do curso de Medicina da Unioeste, a Cirurgia Geral é uma especialidade em emergência e há uma carência no Brasil de profissionais cirurgiões gerais, principalmente no interior. “Formando estes profissionais, vamos cooperar com o município e com o estado”, define Yamada. Ele lembra que o primeiro passo, que é a graduação em Medicina, o município conseguiu. Agora está conquistando a especialidade. Também relata que a cirurgia foi escolhida porque dentro da Unioeste existe a necessidade de docentes nesta área. Informa que, por coincidência, a maioria dos docentes efetivos eram cirurgiões, bem como os preceptores. Agora Francisco Beltrão contempla todas as especialidades exigidas para a formação do Cirurgião Geral.

 

Parceria fundamental
O coordenador do curso enfatiza que a parceria com a Prefeitura e a Secretaria Municipal de Saúde é de fundamental importância, principalmente porque o município contempla todas as condições e recursos humanos para contribuir e formar bons médicos especialistas dentro destas áreas. 

Nesta semana a comissão do município e da Unioeste que organiza o processo de implantação do programa de Residência Médica se reuniu para definir os próximos passos. Participaram do encontro: dra. Josiane Nunes, coordenadora da Residência no Programa de Medicina de Família e Comunidade; dra. Carla Patrícia Alves de Souza, coordenadora da Comissão de Residência Médica; dr. Luís Fernando Dip, que assume a coordenação do curso de Medicina da Unioeste em 2019; enfermeira Ana Paula Valandro, do Setor de Atenção à Saúde da Família no município; professora dra. Lirane Ferreto, da Unioeste, e Aline Biezus, secretária municipal de Saúde.