O Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) registrou 87 acidentes, sendo cinco atropelamentos, com sete mortes e 101 feridos, nas rodovias estaduais do Paraná durante a Operação Páscoa, iniciada às 8h de quinta (13) e encerrada ao meio dia desta segunda-feira (17). Também foram feitos 839 testes etilométricos (teste do befômetro), 4.218 imagens de radar e 1.931 autuações. O número de acidentes caiu 23,6% na comparação com o mesmo feriado do ano passado, quando houve 114 registros.

De acordo com o comandante do Batalhão, tenente-coronel Antônio Zanatta Neto, a fiscalização nos cerca de 12 mil quilômetros de rodovias estaduais foi reforçada com as equipes que atuam nas seis companhias e nos 56 postos de atendimento em todo o Paraná. “Os policiais ficaram em diferentes pontos das rodovias estaduais, sempre atentos, entregaram folderes e cartilhas educativas sobre a segurança no trânsito rodoviário e também deram dicas e orientações aos motoristas e passageiros”, explica.

No comparativo com o mesmo período de 2016, além de redução de acidentes, caiu o número de testes etilométricos feitos (-35,91%), assim como de veículos retidos (-37,36%) e de imagens de radar (-38,30%). Também houve queda de -63,16% no número de autuações por dirigir sob influência do álcool (Artigo 165) e de -50% das prisões por embriaguez ao volante (Artigo 306). Nesta Páscoa, foram sete e seis casos, respectivamente. 

Em todo o Paraná, o sábado (15/04) foi o dia com maior número de acidentes (29), mortes (03), feridos (43) e atropelamentos (02). Já a sexta-feira (14/04) foi a data com maior quantidade de autuações (495). 

No feriado prolongado de Páscoa do ano passado, houve cinco mortes, 92 feridos e três atropelamentos. Foram realizados 1.309 testes etilométricos, 6.836 imagens de radar, 1.416 autuações e 91 foram veículos retidos.

Para o tenente-coronel Zanatta, o resultado da Operação Páscoa foi positivo. “Conseguimos diminuir os acidentes. Infelizmente, em apenas um caso tivemos um número maior de vítimas fatais”, conta. 

O comandante também mencionou a redução do número de autuações pelos Artigos 165 e 306. “A diminuição se deve às ações educativas feitas no decorrer do ano e também pela intensificação na fiscalização”, acrescenta.

Conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o condutor embriagado é preso se for constatada concentração superior a 0,3 miligramas de álcool por litro de sangue. Se o nível for abaixo disso, o motorista é multado em R$ 1.915,40 por dirigir sob influência do álcool e tem a Carteira Nacional de Habilitação suspensa por 12 meses. Ele pode apresentar um condutor habilitado para retirar o veículo.