A indústria paranaense foi a segunda mais afetada pela paralisação de caminhoneiros, ocorrida entre 21 de maio e 2 de junho. O recuou da produção foi de 18,4% em maio, atrás apenas da queda registrada em Mato Grosso, 24,1%. Os dados foram apurados pela Pequisa Industrial Mensal (PIM) feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os dados foram divugados nesta quarta-feira,11, e revelam que a greve derrubou a produção industrial de 14 dos 15 estados investigados pelo IBGE. Também houve grande impacto na  Bahia (15%) e Santa Catarina (-15%). São Paulo (-11,4%) e Rio Grande do Sul (-11%) completam a lista dos estados cujas perdas em maio superam a média nacional.

Na média nacional, os bloqueios de estradas e o consequente desabastecimento de alimentos e combustíveis levaram à produção industrial brasileira em maio a uma perda de 10,8% em relação a abril. Quase todos os estados pesquisados tiveram em maio perdas que superaram ganhos nos meses anteriores. A única exceção foi o estado do Pará, o único da lista de 15 estados investigados pelo IBGE que teve alta na produção de maio, de 9,2%.