Uma nova onda de frio polar tingiu de branco o nordeste dos Estados Unidos, e cidades como Nova York e Washington registraram um acúmulo histórico de neve em um único dia, uma situação que obrigou o fechamento de escritórios do governo federal e de escolas, além do cancelamento de mais de 3 mil voos.

No Brasil, a nevasca levou a TAM a alterar os horário de voos para Nova York.

Para quarta-feira (22), estão previstos que cerca de 900 voos sofram eventuais cancelamentos ou atrasos.

Espera-se que as complicações provocadas por esta nova nevasca continuem até sexta-feira.

A onda de frio é causada por uma frente fria polar que afetará toda a área compreendida entre a Carolina do Norte (sudeste) e o sul da Nova Inglaterra (nordeste).

Nevasca
Depois que a tempestade Hércules derrubou os termômetros para mínimos recordes de temperatura no começo do ano, o nordeste do país viveu nesta terça-feira um dia de muita nevasca, que deixou milhares de trabalhadores e estudantes em casa e transformou as estradas em um pesadelo.

As condições meteorológicas obrigaram que os estados de Nova York, Nova Jersey e Delaware declarassem situação de emergência, enquanto áreas de Pensilvânia, Maryland, Virgínia e Virgínia Ocidental permanecem em alerta.

O famoso Central Park de Nova York ficou coberto com a maior quantidade de neve de sua história em um único dia, 19,3 centímetros, um número que supera o recorde anterior, quando em 2001 a cobertura de neve chegou aos 15,2 centímetros.

Políticos mudaram agenda
Uma amostra da paralisia vivida hoje no nordeste foi a capital do país, Washington, onde o governo ordenou que seus funcionários ficassem em casa e o mesmo foi feito por boa parte dos escritórios da cidade, o que, junto com o fechamento das escolas, transformou a capital em uma cidade fantasma durante a tarde.

A nevasca também afetou a agenda do próprio presidente Barack Obama, que foi obrigado a atrasar suas reuniões programadas para esta terça-feira, segundo a Casa Branca. A tradicional entrevista coletiva diária do porta-voz da Presidência, Jay Carney, também foi cancelada.

Além disso, o mau tempo roubou o protagonismo do personagem do dia no país, o governador de Nova Jersey, Chris Christie, que ficou sem poder celebrar a festa de inauguração de seu segundo mandato, prevista na ilha de Ellis, em frente à Nova York.

Christie, considerado um potencial candidato republicano à Casa Branca, contínua no centro da polêmica nacional pelo escândalo do 'Bridgegate'. O caso começou quando, há algumas semanas, vazou uma informação sugerindo que sua equipe de governo decidiu bloquear várias pistas da ponte George Washington, localizada em Fort Lee, em setembro, como uma retaliação contra o prefeito da cidade, do Partido Democrata, que não apoiou o governador em sua reeleição.

Segundo a imprensa local, toda a comida que seria servida na festa de Christie será doada para refeitórios públicos em Jersey City.